terça-feira, 21 de novembro de 2017

Realidades Invisíveis com Prof Dr Euvaldo Cabral Jr

De todas as coisas que vou garimpando na Internet, o que considero de mais valioso compartilho aqui no blog, já alguns anos.

Conheci a Transcomunicação instrumental bastante tempo atrás, através do livro de Sonia Rinaldi; profundamente interessada no assunto, tentei acompanhar notícias, buscar mais informações, mas me parecia que o assunto avançava muito pouco.

Ontem minha amiga Sol Ierullo me falou sobre o trabalho do Prof Euvaldo, e eu imediatamente comecei a pesquisar a respeito, e achei esses dois vídeos. F A S C I N A N T E !

Conforme relatei em vídeos e nos meus mais recentes livros, embora eu sempre buscasse resposta nas religiões e filosofias, em meus contatos com seres extradimensionais ficou claro para mim que havia uma enorme confusão entre conceitos ditos espiritualistas e a verdade vivida por esses seres em suas respectivas realidades.

Seres Extraterrestres, Intraterrestres, Ultraterrestres, seja lá qual a nomenclatura utilizada, não vão procurar 'desconverter' ou confrontar a fé das pessoas com as quais entram em contato, eles simplesmente sorrirão, cientes da nossa ignorância e entendedores das nossas dificuldades em compreender algo que contrarie aquilo que tomamos como 'inquestionáveis verdades espirituais', mas irão nos expor aos fatos da vida deles, e essas descobertas, esses aprendizados acabarão pondo por terra todas as nossas falsas concepções.

As religiões - todas - tem os dias contados e nossos conceitos sobre Espiritualidade se modificarão enormemente, para que possamos alcançar o status de uma civilização estelar.

Tenho aguardado esse dia desde que nasci, e acredito que do outro lado da vida  ainda estarei fazendo a minha pequena parte para que aqui chegue essa Nova Aurora para a Humanidade da Terra.

Fiquem, portanto amigos, com esses preciosos vídeos e os questionamentos que eles nos propõem:





terça-feira, 14 de novembro de 2017

Sobre o portal 11:11 e outros

Outra pergunta feita pela nossa amiga Mônica Turolla sobre os portais, principalmente o 11:11



11:11 é um portal ligado mais especificamente às contrapartes divinas. 
Muitos 'trabalhadores da luz', a partir de um certo ponto, atua aqui na 3D junto à sua contraparte divina, mesmo que ela esteja em outra dimensão ou até mesmo orbe planetário.

Como grande parte do trabalho da Transição Planetária é simplesmente ancoragem da energia do Amor, muitos pares já integrados à suas contrapartes aceitaram encarnar na Terra, vira e mexe eles são atuados pela energia desses portais.

Amanhã (12 de novembro de 2017, através do 'cruzamento' nos céus dos planetas Vênus e Júpiter) a consciência do Amor se amplia um pouco mais sobre Gaia.


Um portal energético entretanto nem sempre é marcado por uma data numérica chamativa, embora muitos sejam. 


Já a decodificação numérica, quando você se depara com uma determinada sequência repetidamente, é um sinal de que você está em sincronia com seu caminho, seja ele qual for.


As pessoas que vêem muito 11:11 são as que precisam atuar junto à sua contraparte aqui, mesmo que estejam inconscientes disso neste plano. Outros trabalhadores vêem outras sequências com mais frequência.
O 11:11 reforça o sentido de identidade e integração de polaridades.


Pessoas que têm missão com a coletividade podem ver 21:21 ou 09:09.


Pessoas em fases de transformações na vida, família etc costumam ver 20:20, 12:12, 04:04, 16:16.
Para quem procura emprego é bom sinal avistar (até em placas de carro, endereços etc) 13:13 e combinações de 0, 4, 5 e 1.


Entretanto vale lembrar que toda interpretação de simbologia espiritual, e muito do que se lê por aí baseado na numerologia, assim como a Astrologia convencional, são defasadas perante as "ciências holísticas e interpretações energéticas dos seres Extraterrestres".


Na maioria das vezes os contatados vêem sequências numéricas nas naves e não sabendo o que significam, quando 'acordam' na 3D procuram explicações nessas ciências daqui, e nunca será o que realmente significam lá para eles.


Dentro daquilo que aprendi com eles, as sementes estelares costumam ser 'ativadas' perante determinadas frequências de som, cor, geometria e cenas - palavras raramente, pois são condicionadas a um idioma e tudo que os Extras fazem é predominantemente universal, tem que funcionar para o chinês e o sueco da mesma forma. Essas ativações entretanto se dividem em grupos que podem ser étnicos, extratos sociais ou por linhagem espiritual, entre outras divisões em acordo com o projeto em andamento. 


Periodicamente então os contatados, divididos por grupos, são ativados de formas diferentes por portais energéticos diferentes embora de atuação coletiva. A mesma energia é modulada para cada extrato de acordo com sua função, por isso alguns individuos vêem mais alguns números do que outros.
Isso assim, falando bem por cima....

Existe Aborto na Intraterra?

Respondendo a uma pergunta feita no Facebook bastante pertinente do nosso irmão Raimundo que nos abre possibilidade de abordar como é feito o controle de natalidade em Telos, cidade intraterrena localizada abaixo do Monte Shasta na California/ EUA


:


Raimundo De B. Farias Algumas dúvidas!...Os seres intraterrenos praticam aborto?...se praticam, em que casos os fazem?...ou será que é proibido aborto nos mundos internos?...Se for proibido, porque é proibido?

Gerenciar
Jennifer Dhursaille Raimundo, não existe aborto da forma como entendemos aqui, em Telos, assim como não existe estupro, nenhum tipo de violência nem à mulher nem a criança ou aos adolescentes. É literalmente um outro mundo, com outra lógica e outras regra que funcionam bem dentro da realidade deles, ainda que como sempre digo, ela não seja perfeita. Respeita-se a sabedoria dos anciãos e o sexo é visto como sagrado, não apenas porque gera a vida, mas porque é um momento de comunhão divina entre dois seres. 

A natalidade lá é controlada de forma natural, o casal se propõem ou não a serem pais e essa decisão é como uma freqüência emitida ao universo, que os torna canais receptivos ou não a um espírito que deseje encarnar e seja compatível com as energias geracionais tanto do pai como da mãe. Existem casos de aborto espontâneos, de gestações que não se concluem, por abandono do projeto do espírito que se candidata àquela encarnação ou também pode ocorrer de a mãe ou mesmo o casal (geralmente a mulher é levada mais em conta uma vez que a gestação implica em sacrifícios de doação física e energética dela prioritariamente) não estar em boas condições energéticas - do corpo fisico ou psíquico ou ainda dos mais sutis - e isso ocasionar um aborto. 

Como expliquei nos videos e no livros, lá existe uma predisposição íntima acompanhada de uma necessidade de se pedir permissão para gerar novas vidas através de um compromisso formal, somente seres conscientes se candidatarão a serem pais, cientes das enormes responsabilidades disto. Sendo o 'controle de natalidade' uma ação de imposição do campo mental sobre o físico, e não sendo eles seres que dominam isto completamente, embora o façam de forma muito melhor que nós, pode ocorrer falha, e nesses casos os nascimentos são bem vindos e vistos como bênçãos inesperadas da Fonte Criadora. Lá os pais também não criam os filhos sozinhos, há todo um apoio da coletividade em torno do casal. 

O mais próximo de um 'aborto' da forma que conhecemos aqui, seria a mãe - não se sentindo apta a levar a gestação ao término por N motivos, e não estando o pai também em condições ideais por outros N motivos - 'decretarem ao universo' fazendo assim uso das suas faculdades mentais e emocionais, que não desejam serem pais naquele momento pelas causas X e Y e pedindo ao espírito encarnante que aguarde nova oportunidade através deles ou de outros pais compatíveis. 

Essa atitude, em 90% dos casos leva ao aborto "espontâneo". Os 10% que não obedecem ao comando dos pais nascem e são criados da melhor forma que for possível.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

7 Minutos Depois da Meia-Noite



Para definir com uma palavra, é um filme extremamente XAMÂNICO!
Quando falamos em espíritos guias da natureza, sempre pensamos nos Animais de Poder, mas no Reino Vegetal temos muitos seres dotados de enorme sabedoria e amor dispostos a serem nossos professores se estivermos dispostos a escutar e aprender - e claro, nos transformar, pois ninguém é apadrinhado por um ser da natureza para receber lições teóricas apenas!
A Transmutação que acompanha a visita é sempre compulsória.
Para os conhecedores da cultura céltica, praticantes do Runemal e do Ogham, o simbolismo da árvore do Teixo é de uma preciosidade sem precedentes.
Impossível também não estabelecer um paralelo com as conhecidas figuras dos guardiães Exu Figueira e Exu Mangueira.
Como diz a crítica, "o choro é livre e genuíno".
Esse filme vale uma roda de cura xamânica!

[na data desta postagem o filme está disponível no Netflix e no Youtube]


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Sobre Reptilianos e Nós



Segue aqui uma pergunta recorrente, dessa vez feita pelo nosso amigo Raimundo Farias:


BOM DIA JENNIFER...UMA DUVIDA QUE NUNCA CONSEGUI ESCLARECER, PORQUE JÁ OUVI MUITAS OPINIOES DIVERGENTE, É SOBRE A EXISTENCIA DE SERES REPTILIANOS VIVENDO COMO HUMANOS.
HÁ PESSOAS BEM CONCEITUADAS COMO ESPIRITUALISTAS DIZENDO NA INTERNET QUE EXISTEM.
MAS TAMBEM JA PERGUNTEI PARA VIDENTES E A RESPOSTA É QUE NAO EXISTEM REPTILIANOS VIVENDO COMO HUMANOS.
GOSTARIA SE POSSIVEL DE SABER A SUA OPINIÃO


Para responder essa questão é preciso esclarecer o contexto em que ela se insere, a partir da ótica que eu contemplo:


A alma, após ser criada,  inicia sua jornada em um mundo e uma civilização de acordo com suas características que deverá desenvolver.

Em Sirius havia povos adâmicos descendentes de felinos e de reptilianos.
Os repteis, tinham uma natureza mais agressiva e eram mais dominadores,
o que não é necessariamente ruim, pois a passividade e a preguiça não ajudam ninguém a evoluir.

Geralmetne dentro de um sistema, existirão seres representando as duas polaridades, uma YIN e outra YANG, até que ambas as qualidades estejam integradas.

De tanto brigarem entre si, sem conseguirem a integração necessária, os seres superiores que regem as evoluções resolveram criar um corpo único para abrigar ambas as linhagens, na esperança de que sem se reconhecerem como inimigos pudessem finalmente se entender melhor, porém os conflitos continuaram.

Na terra as mesmas levas de espíritos - que essencialmente são iguais, frutos da mesma fonte - continuam a disputar território, tendo emigrado não apenas de Sirius, mas de Órion e outros sistemas onde houve conflitos semelhantes.

Uma parte dos reptilianos é especialmente agressiva, e tem um longo histórico de usurpação do livre arbítrio alheio assim como do seu próprio povo e de escravizar aqueles que consideram seus inferiores, denominada linhagem draconiana. São esses que originam o que normalmente se  alega ter a ver com Iluminatti, seres obsessores, magos negros, elite escura, e a origem de todo o mal que assola a humanidade.

Na verdade existe uma enorme desinformação sobre esses assuntos, fruto de traduções erradas de canalizações em inglês, especialmente no Brasil, o povo não sabe o que é de fato Iluminatti, Cabala, nem mesmo canalização, e sai criando teorias à moda da casa e usando esses termos de modo indevido. A maioria das matérias sobre isso na Internet são apenas Lixo sem proveito algum

Essas abordagens infantis criam percepções sectaristas e desfocadas.

Se a pessoa teve várias encarnações sucessivas na linhagem reptiliana e se identifica com esse padrão, seu corpo astral pode ter traços que a identifiquem com a aparência do Povo Réptil. O espírito que encarna pode apresentar determinados traços no seu corpo astral que o identifiquem como um ser de aspecto predominantemente reptiliano - o que não significa que seja um ser do mal - que pode ser visto por videntes, mas raramente será visível embora possa em casos raros, repito,  ocorrer, uma transfiguração, durante uma hipnose ou algum trabalho espiritual.
Para pessoas experientes é relativamente fácil reconhecer alguém cujas experiências encarnatórias foram predominantemente reptilianas. Assim como é fácil reconhecer também a linhagem feliana.

Mas o espirito é feito da mesma matéria, variam as características principais, e o períspirito apresenta a forma DESTE corpo humano, pois as características reptilianas estão gravadas não no períspirito desse corpo, mas no Eu Matriz, assim como todas as informações sobre suas experiências pregressas.

Essas histórias de que a pessoa é reptiliano de carne e osso, e se transforma, como falam da rainha da Inglaterra, etc, não existe, é uma mentira absurda. Pode no máximo existirem famílias reptilianas encarnadas, mas só isso. E não significa que devam se demonizadas.

Seres de outra dimensão porém podem aparecer ‘de carne e osso’ com a sua forma original
mas aí seria o mesmo caso de se ver um ET, ou ser dimensional,  não uma ‘visão’.

Na verdade cada vez que alguém publica uma matéria com essas bizarrices com fotos de alegados reptilianos flagrados, os verdadeiros seres que dominam este sistema dão risada, porque para eles é como se uma criança estivesse a fazer uma malcriação. Quem pensa que expõe esses seres fazendo esse tipo de postagem apenas perde seu tempo e energia.

Os verdadeiros mandantes das trevas estão muito bem ocultos da visão geral e ao mesmo tempo extremamente expostos. Porque a grande verdade é que eles não precisam se esconder. 
E seu poder não vem de algum artifício oculto desconhecido. Vem de você, vem de nós, que os mantemos no poder, os alimentamos com nossos medos, fraquezas e falta de atitude. 
Eles com frequência são pessoas que você admira, seres bem sucedidos e que na área da espiritualidade (e da ufologia também) falam em nome do bem e da luz. Você acredita neles, porque você está desconectado de si mesmo, e por conseguinte, da Fonte.

Eles estão na sua frente, e você não os reconhece.

Você acredita nas ideias que eles te vendem.

Porque é mais fácil. 
Porque dá menos trabalho. 
Porque é mais seguro.

Muitos espiritualistas acham que ao falar da existência desses seres, estão ajudando a expô-los. 
Mas não estão, estão apenas perdendo energia  e utilizando uma forma de pensamento arcaica, que é encontrar um bode expiatório para culpar por todas as nossas mazelas, e esperar pacientemente pela sua punição, quando então “poderemos ser todos felizes para sempre”.

Só que não é assim que funciona. Não é assim que a banda toca, meus amigos.

Porque se existe um comando trevoso, existe também uma humanidade conivente com esse governo. 
E quanto mais a pessoa foca nisso, menos ela faz o seu próprio trabalho. Aquele que realmente a colocaria imune a todas as armadilhas do ‘inimigo’ e ‘fora da ação negativa e restritiva do sistema’. 
As pessoas se iludem de que ‘falar’ sobre um assunto apenas resolve, mas o que resolve é aprender a perceber as manipulações externas, as formas sutis como o domínio é imposto.

Raimundo Farias: ENTENDO....VOCE NÃO ACHA QUE A ALIMENTAÇÃO COM BASE EM ANIMAIS DE CARNE VERMELHA E AVES ESTA CONTRIBUINDO NEGATIVAMENTE PARA A ESPIRITUALIDADE DA HUMANIDADE?...SEI QUE EXISTE SERES QUE SE ALIMENTAM DO ECTOPLASMA DOS MATADOUROS


Existem os matadouros, mas ninguém obriga a pessoa a ir lá e comprar carne no açougue. Então em vez de criticar as empresas, seria mais efetivo parar de alimentar a indústria, porque ninguém fabrica o que ninguém compra.

Aquela empresa de cigarro, que  é da treva, nenhum funcionário dela vem e acende o cigarro e põe na sua boca.

As pessoas precisam aprender, a assumir as consequências pelas suas ações.

Nesse sentido essa falação sobre reptilianos e governo oculto é uma distração, um desvio de foco útil. 

Essa energia e esse tempo seria mais bem gasto investido em identificar as causas da sua ansiedade e que te fazem consumir 3 maços de cigarro por dia. 

Auto analisar as suas próprias questões com relação ao sexo que fazem uma pessoa precisar recorrer a pornografia para ficar excitado. 

Passar a ouvir o corpo e modificar a sua alimentação para resolver aquela gastrite,  queimação no estômago (que está ligado ao plexo solar e portanto à sua capacidade de se manifestar aqui neste plano).

Porque se todas as pessoas que tão entusiasticamente falam sobre as famílias trevosas que governam o mundo, conseguissem focar nas suas próprias questões que ainda as mantém escravizadas aos sistemas  de controle que essas famílias tornaram disponíveis aos zumbis que querem manter sobre seu domínio, então sim haveria um golpe real contra esse chamado governo oculto.

 E se essas pessoas conseguissem gerar um efeito dominó, inspirando outras pessoas a conseguirem se libertar também de tudo aquilo que as aprisiona a padrões de vícios, então isso sim seria um ENORME GOLPE  NA MATRIX.

Raimundo: EU FIZ 43 DIAS DE ALIMENTAÇÃO CRUDIVEGANA E SENTI UM EFEITO INCRIVEL
HOJE SOU APENAS 80 % CRUDIVEGANO
PORQUE 100% É MUITO DIFICIL
COMO AS VEZES FRUTOS DO MAR, COMO PEIXES E MARISCOS


Maravilhoso. Já fui quase vegana, mas hoje como frutos do mar também. Ninguém precisa ser santo, modelo  para os outros, mas a gente tem que aprender a se olhar com honestidade e procurar se trabalhar naquilo que é necessário.


Raimundo: MESMO NAO SENDO 100% SINTO UMA LIMPEZA.
ACHO QUE A ALIMENTAÇÃO É A TAL ALQUIMIA QUE OS ALQUIMISTAS SEMPRE FALAVAM EM TRANSFORMAR O CHUMBO EM OURO, OU SEJA, O DENSO E SEM LUZ EM SUTIL E LUMINOSO.

Sim, faz sentido. Os intraterrenos dominaram isso.


ADENDO IMPORTANTÍSSIMO:

Quem teve experiência dentro do Xamanismo sabe respeitar a força da Mãe Jibóia. 

O Povo Réptil tem seu lugar na natureza assim como todos os filhos da Criação. 

A SIMBOLOGIA da Kundalini, como a serpente da iluminação, o próprio símbolo da cura que vemos representando a medicina. É preciso enxergar com justiça e assumir nossas parcelas de responsabilidade perante tudo aquilo que nos acontece. O mal que nos acomete muitas vezes é fruto da nossa imprudência ou da nossa conveniência.

Em uma das Rodas Xamânicas de que participei, me foi dado compreender que o corpo humano que utilizamos, que nos permite ter nossas experiencias aqui neste planeta, só vingou, só resistiu às intempéries, devido a contribuição reptiliana na nossa constituição genética. Os Pleiadianos através de Barbara Marciniak também falam disso.

Somos uma aglomerado de genes doados por muitas linhagens, mas aqui, a reptiliana teve contribuição fundamental, eles são portanto também nossos ‘pais genéticos’, nossa ‘família’, e devem ser reconhecidos por isso, pois conforme ensina a Terapia da Constelação Familiar, toda nossa ancestralidade deve ser reconhecida para que possa haver paz e prosperidade às novas gerações.






domingo, 22 de outubro de 2017

O Terapeuta Solucionado

Esse é um vídeo muito, MUITO especial por diferentes razões.😍
A técnica conhecida por Tapping ou EFT para liberação de traumas do passado, fobias e outras desgraças que nos afetam é o tema central da entrevista - somente para quem entende inglês, infelizmente.
Porém um tópico aqui é abordado com bastante sinceridade, o fato de que você NUNCA TERÁ SEU TRABALHO PRONTO. 
⚕️🕉️☯️
NÃO EXISTE TERAPEUTA PLENAMENTE CURADO, TOTALMENTE CONSERTADO!
☯️🕉️⚕️
Algumas pessoas acham que aqueles que estudaram um método, se dedicam a ele e o conhecem profundamente bem o suficiente para ensiná-lo a outros, têm de ter uma vida linda, um corpo perfeito, um parceiro invejável, uma família de comercial de margarina e não lidar mais com problemas financeiros.
🌿🍃🍂🌱
Bem, aí está Louise Hay, a Rainha da Cura e Auto Ajuda, no alto da sua soberania, abrindo seu coração e praticando Tapping para superar resquícios de traumas que lhe ocorreram ainda na infância.
Lá pelo meio do vídeo dá pra vê-la praticando a técnica, expondo-se às câmeras.
Se você se interessou, pesquise pelo tema EFT ou Tapping no Google, pois existem apostilas em pdf gratuita para quem desejar praticar no conforto do seu lar.



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Carta 1- Vocês Não Foram Esquecidos

Aqueles que acompanham nosso trabalho sabem que ao contrário do que querem fazer acreditar alguns servos da contra-informação, os irmãos Intraterrenos têm por nós grande zelo e basicamente devotam suas existência a projetos de resgates das consciências aqui adormecidas. 

Nem poderia ser diferente, uma vez que somente 1 humanidade continuará existindo após a Transição, portanto suas ramificações em diferentes dimensões de existência precisam ser REUNIDAS, e em prol disso são disponibilizados muitos projetos de cura em nível energético, ampliação da percepção consciencial e métodos de elevação frequencial dos quais precisaremos para atravessar esse delicado processo de adaptação ao convívio com seres de alta vibração.

Neste capítulo do livro "Cartas da Intraterra" narro uma conversa que tive com um comandante da Intraterra na qual ele me ajudava lembrar de minha vida anterior junto a ele, já atuando em projetos voltados à Superfície da Terra. Aqui fala-se um pouco sobre a Espagiria Intraterrena, as dificuldades de atuação nesta frequência tridimensional e sobre as potencialidades latentes dos nossos chakras, além de ilustrar um pouco de como funcionam as bases de trabalho e comando tanto extra como intraterrestre e também cita a presença de Seres Espirituais Ascensionados de Alta Frequência Vibratória auxiliando nesses esforços, e que conhecemos popularmente como espíritos guias da Umbanda ou do Xamanismo.

É empregada uma linguagem complexa, por isso posto aqui as notas de rodapé antes do texto, a fim de facilitar o entendimento:

“Cartas da Intraterra” © 2017 Jennifer Dhursaille
Todos os Direitos Reservados




* O Centro Botânico será melhor explicado no capítulo A TRANSIÇÃO SOB O PONTO DE VISTA DA INTRATERRA
# “Rosana” é um membro da Equipe já citado no livro “Dentro de Uma Nave Interdimensional”
**  Nota da Mensageira: Acredito tratar-se da região dos Alpes Centrais de Aosta ao Brennero.
*** Erupção do Vesúvio de 1944, que ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial.
## Gêmeo refere-se ao conceito de contraparte, da expressão inglesa “twin-flame”, “chama gêmea”, erroneamente compreendido aqui como ‘alma-gêmea’, mas segundo o entendimento em dimensões superiores trata-se de uma complementação energética, vibracional de compatibilidade extrema entre dois indivíduos ou elementos, capaz de elevar ambos às suas máximas potências e originar fatorações que propiciem soluções inéditas. No caso específico desta pesquisa buscavam-se espécies do Reino Vegetal que tivessem contrapartes em mais de uma dimensão e que conseguissem manifestar ao menos uma parte de seus corpos inferiores no plano denso da 3-D, para que as alterações feitas nelas pudessem alcançar nossa vibração e causar efeitos aqui neste plano.

### As explicações sobre o Eu Matriz foram primeiramente fornecidas na obra “Dentro de uma Nave Interdimensional” publicada pela Amazon KDP em 2016, e embora muito será falado sobre este que é o principal veículo de manifestação do Ser, poderá ser útil a consulta desta obra para maiores esclarecimentos. Cabe aqui dizer que na dimensão onde essa história ocorre não apenas o conhecimento sobre essa Estrutura da Alma é abrangente, como esta sociedade, assim como outras tão ou mais evoluídas, dispõem de amplos métodos e dispositivos de conexão com o Eu Matriz para fins de modular suas experiências para que elas ocorram de acordo com os propósitos do Eu Superior, este sim expressão primeva e unicamente espiritual do Ser.

Carta Um - Vocês Não Foram Esquecidos


19/11/16


            Neste dia, antes de ditar a carta, George iniciou a transmissão telepática utilizando nossos nomes reais na dimensão do qual somos originais, e disse que assinaria dessa forma. Ele me perguntou:

            - Você se lembra do Professor?

            - Lembro-me de dois jardins, um no Centro Botânico da Vó Maria* e outro da base em que estive em projeção, em que falei com você, Rosana# e esse Professor que me era muito familiar.

            - Essa base ficava localizada mais ou menos na metade do planeta, geologicamente a partir do nosso ponto de vista, ligeiramente à esquerda de uma linha Ley subindo a partir do Egito, aproximadamente no que seria a divisão do mundo ocidental-oriental. Ficava nos Alpes e ela foi desativada*. Lá se realizavam três projetos principais e laboratórios haviam sido cedidos para diferentes grupos por ser o local uma antiga embocadura da Intraterra física, com uma cidade ‘real’ dentro de uma montanha que se estendia pelo seu subsolo. Era um local à prova de atentados, porém não das mudanças geológicas e abalos sísmicos que aliados à entrada em atividade de um vulcão próximo*** e dois mais distantes afetaram os meridianos/linhas Leys que tornavam o local seguro e viável. Isso já era esperado e levou à transferência dos projetos ali conduzidos para outros locais. Houve uma divisão: teste com naves não há mais, pois a pesquisa foi concluída antes da evacuação; área de pesquisa laboratorial diplomática transferida para região próxima a Mato Grosso, e os “jardins”, projeto com as sementes para a Nova Terra, embora o foco seja a Nova Zelândia para a maioria dos primeiros plantios, ainda este território estará sujeito a várias alterações geológicas, o que pressupõe o planejamento e a construção de uma futura sede desse tipo de pesquisa em solo australiano, por ser próximo e uma massa geológica mais estável. O ‘Professor’ do qual você se lembra optou por continuar os seus projetos (nos quais você se envolveu e faz parte) em uma das imensas naves-mães confederadas que já estão integradas à atmosfera da Terra – permanentes no espaço aéreo de uma determinada frequência vibracional sobre a Oceania.

            Lembrando-me de mais detalhes, continuei:

            - Ele esteve no Centro Botânico da Vó Maria, como um palestrante, quando eu vivia e trabalhava lá. Eu levei ao conhecimento dele minhas dúvidas sobre a possibilidade de se alterar geneticamente determinadas espécies – plantas, ervas medicinais, flores e alimentos – a fim de se provocar lembranças da vida real – pré-encarne – com o objetivo de que as pessoas não se desviassem tanto de seus propósitos. Inquiri sobre isso porque a palestra dele e um dos principais focos da pesquisa – e sobre o qual pouco falava – era justamente a possibilidade de se desenvolver sementes imunes às alterações genéticas negativas ou involutivas, o que ocorria propositadamente de forma direta por aqueles que pretendiam manter um povo escravo apenas como recurso energético, ou indiretamente como consequência do desequilíbrio do solo, água e atmosfera (física e psíquica) o que causa um ciclo de retroalimentação doentio no planeta.


            - O Professor elevou-me ao cargo de sua assistente à distância – prossegui externando minhas lembranças a George – num projeto que estaria aos meus cuidados dentro do Centro Botânico com a permissão da Vó Maria, com dados repassados diretamente a ele; não fazia parte dos serviços do Centro Botânico. Lembro-me de ter concluído a 1ª Fase e enviado a ele os dados: de plantas (algumas flores, mas sobretudo alimentos) possivelmente mais impregnáveis a uma programação genética de transmissão interdimensional. Basicamente eu me detinha no estudo de padrões de florescência das espécies botânicas e dos efeitos da água sobre espécies que tivessem gêmeos## em ambas as dimensões, a nossa real e aqui na 3-D. Algumas espécies funcionavam em somente uma coordenada ou duas, que na melhor das hipóteses atingiam linhas temporais paralelas mais positivas; não era seguro apostar nelas pois não funcionavam aqui, já que a densidade e poluição tornaram mais difíceis a concretização desse plano. Já na 2ª Fase o Professor queria que eu me detivesse na identificação de espécies que tivessem um gêmeo capaz de sobreviver na mais densa e negativa probabilidade de linha temporal. Foi frustrante constatar que a premissa da minha ideia original comprovava-se em espécies com gêmeos até 3 graus de distância (coordenadas paralelas de linhas temporais), o que não servia de nada para a força-tarefa que se dedicava a buscar todos os possíveis meios e recursos efetivos para atuar na Transição.

            - O Professor – prossegui – era um líder de pesquisa de espécies botânicas para a Força-Tarefa da Confederação; ele era muito energético e prático, embora aparentasse ter certa idade, mas eu gostava muito dele, era como um velho conhecido. Houve um intervalo entre a 1ª e a 2ª Fases do projeto. A 2ª foi muito frustrante. Eu tinha esperança de que ele pudesse fazer algo de útil a partir dos dados que enviei sobre os gêmeos que eram atingidos em até 3 graus de separação dimensional, cuja resposta à programação era promissora, mas ele não desenvolvia projetos, apenas supervisionava e queria que ‘eu’ apresentasse a solução e dados concretos para que ele então pudesse tomar uma decisão a respeito, que seria autorizar a execução de projetos específicos. Eu queria – e poderia – levar isso a cabo, ter um trabalho meu supervisionado pelo Professor dentro do Centro Botânico da Vó Maria, mas a pesquisa travou. Ele se ausentou por um bom tempo a trabalho, e quando voltou eu já era noiva; em uma de nossas últimas conversas, disse-lhe acreditar que flores e plantas medicinais não seriam de grande proveito, mesmo que gêmeos perfeitos fossem identificados; eu achava que os esforços deveriam concentrar-se na área da alimentação, uma vez que o sistema na 3-D não predispunha a que os seres humanos da superfície se detivessem no belo ou na medicina natural, somente os alimentos teriam grande alcance e poderiam agir mesmo de forma inconsciente e à revelia de quem os ingerisse. Por conta de a pesquisa estar estagnada de qualquer forma e o Professor sempre viajando muito e ausente, o próximo contato que tivemos foi um pedido, uma oferta formal que fiz de servir às pesquisas por ele conduzidas dentro do Laboratório do qual eu e você seríamos responsáveis, o que foi aceito após um tempo. Eu continuei somente após minha segunda gravidez, a pesquisar novamente possíveis gêmeos. Eu queria ter dados completos para enviar ao Professor, algo relevante pra assim poder voltar ao projeto que não tivera continuidade por parte de ninguém no Centro Botânico.

            George/Jurgen então prosseguiu ditando:

            - Algum tempo depois, como você se lembra, eu recebi a incumbência de um Ser Ultradimensional – Águia Dourada – em nossa casa, de preparar um cronograma experimental de técnicas conjugadas de impedâncias e influxos eletrônicos capazes de alterar a percepção dos campos eletrostáticos e eletromagnéticos, em outras palavras, da realidade ao seu redor, a princípio a partir das pesquisas já feitas com os gêmeos vegetais por diversos grupos. O objetivo disto seria estimular a percepção de uma massa especial de pessoas em elevado número capazes de serem os “astronautas” a desbravar para os seus irmãos ‘a chegada’ consciencial a um novo mundo que sempre esteve ali, apenas não era percebido. A época destes estudos, as espécies (vegetais, botânicas) mais poderosas e já conhecidas na Superfície permaneciam sob o zelo de grupos étnicos específicos, pouco dispostos a compartilhar com um mundo doente aquilo que consideravam sagrado e de sua pertença cultural. Na incerteza de que uma possível popularização destes métodos ocorresse – o que já era debatido há bastante tempo e advogado por muitos ‘seculares’ (pessoas ligadas a castas/escolas de disciplinas espirituais) como a “Ponte do Arco-Íris” que seria capaz de restabelecer a ligação de dois mundos cujos membros são uma mesma família – optei por concentrar meus esforços hipotéticos na estrutura da mente.

            É necessário que aqui eu faça algumas explicações:

·        A cada três gerações cristalizam-se mudanças cromossômicas induzidas por uma alteração ambiental;

·         A cada nove ou dez gerações (cerca de 300 dos seus anos medidos segundo a lógica da Superfície) já não é possível retornar às estruturas genéticas anteriores e somente alguns indivíduos nascerão ainda com esses genes considerados recessivos;


·        Em cerca de 3000 anos é seguro e possível afirmar que um mesmo povo tenha originado 2 a 3 vertentes com características profundamente alteradas com relação à original e totalmente distintas entre si, podendo ao olhar externo parecer muito mais distantes do que realmente são;

·        A essas informações some-se que a partir do momento em que tais alterações sejam patrocinadas pela ação do espírito no pleno e perfeito exercício do livre-arbítrio, tais mudanças ocorrem de forma ainda mais vertiginosa e definitiva, à exponência de 6/1 (6 vezes mais rápido);


·        Uma vez adaptada a novas frequências vibracionais, os chakras dão origem a novas estruturas energéticas, desabrochando como flores que aguardavam a Primavera para vir ao mundo; essas novas estruturas permitirão a espécie adaptada não apenas sobreviver, mas continuar a evoluir no novo ambiente;

·        Por fim, separados por um tempo relativamente curto em termos de medidas temporais e evolutivas humanas, uma linhagem paralela pode consubstanciar-se aparentando grande variedade da que lhe deu origem, sendo ambas porém essencialmente as mesmas. 
           
            Levando em conta essas informações, busquei parcerias para identificar as áreas no cérebro que poderiam, caso estimuladas, acelerar o surgimento de pré-estruturas neuronais e neurológicas capazes de se ligarem, se conectarem às ‘células’ do cérebro do Eu Matriz através da contraparte do cérebro perispiritual ou do soma.

            Uma vez rastreadas essas áreas, sugeri uma série de possibilidades para efetivar a ativação dessas áreas por comando remoto. Quando o Eu Matriz estivesse atuando de alguma forma, essas áreas seriam conectadas e receberiam informações cognitivas de parte das experiências, como uma filial recebendo um influxo de recursos para o seu desenvolvimento. A única maneira que tínhamos de tornar isso operacional era através da imersão de nós mesmos num ambiente de 3-D controlado, em “veículos” físicos semelhantes a escafandros de simulação biológica que nos “embotavam” os sentidos. Uma vez na Superfície deveríamos nos lembrar de uma série de protocolos a serem cumpridos, invariavelmente ‘esquecíamos’ do que fora combinado e éramos trazidos de volta, perplexos, pelo nível de densidade a que vocês estão expostos. Admirávamos como vocês eram capazes de acordarem de manhã e se lembrarem da direção de onde deveriam ir para o seu trabalho, ou de ainda saberem quem são por volta do meio-dia, sobretudo admirávamos o fato de ainda estarem vivos e de alguma maneira operacionais ao fim do dia. Para nós a sua resistência e capacidade de superesforço é admirável. Embora, como dito, os organismos biológicos se adaptam a frequência vibracional de uma faixa existencial, o “peso” ao qual vocês se sujeitam aliado às múltiplas toxinas que lhes impedem o afloramento dos sentidos sutis tornou o projeto ao qual nos dedicávamos uma verdadeira prova de amor a vocês. Nós queríamos, mais do que tudo, encontrar um meio de romper o isolamento sensório para que vocês tivessem ao menos “a chance”, a “oportunidade” de se lembrarem de que não estão sozinhos, de que entraram na experiência da carne com um propósito específico e de que esse propósito, seja qual for, conta com o patrocínio de sua família espiritual, que o ajudou a planejar essa existência e agora procura ajudá-los a cumpri-la da melhor maneira possível de acordo com os seus próprios desígnios.

            Parte de um experimento prático de subida à superfície será compartilhado com vocês em uma próxima carta, conforme nossos registros pré-determinaram à época em que ele ocorreu, entre 1948-1958 para vocês.

            Nesses experimentos tentávamos diferentes modulações de frequências cerebrais onde os comandos eram ‘plantados’. Quando uma ação programada aqui em nossos voluntários era executada com êxito na Superfície, dizíamos que havíamos obtido uma ‘colheita’. As estruturas cerebrais assemelham-se a pequenas árvores, ramos que quando se enraizavam criando brotos nas áreas estimuladas a responder eram nossa ‘semeadura’. Dentre 4, 6, 8, 10, 12 até 20 comandos, por vezes eram executados de nenhum a 6, na melhor das hipóteses.

            Então Stella um dia veio ver o que fazíamos. Esse não era seu nome, mas era assim que eu a chamava, e logo todas passaram a chamá-la assim também. Stella tinha o ao mesmo tempo adorável e desagradável hábito de dar sua opinião em qualquer assunto do qual tomava ciência. Quando ela veio ao laboratório da montanha e viu os esparsos resultados, ficou inconformada, alegando ter certeza de que resultados superiores melhores poderiam ser atingidos com pequenos adendos.

            Ela tinha uma ideia, e sua ideia era “programar o cérebro de forma infraconsciente aliado a um estímulo consciente”. Os voluntários receberiam as instruções de comando do que deveriam executar na Superfície (que eram missões extremamente simples como avistar uma cor e manter o foco do olhar sobre ela por 8 segundos ao menos, posicionarem-se a sudoeste de um alvo animal ou humano a 50 metros de distância e recolher uma pedra, por exemplo) de forma inconsciente, embora por um método diferente do que vocês considerariam como hipnose. Os voluntários saberiam que teriam um número exato de ações a executar, mas a informação estaria disponível somente no nível infraconsciente e no cérebro matriz###, e não mais ‘rascunhadas’ no simulacro biológico denso. Parecia ilógico, uma vez que os insucessos superavam os êxitos mesmo com o estímulo externo no cérebro-receptor, que se diria sem o estímulo e sem que o próprio imerso tivesse ciência do que lhe fora determinado que fizesse. Mas Stella acreditava que o peso dimensional da 3-D era percebido como uma espécie de “ruído de fundo” pelo sistema biológico/bioma do imerso e que embora inconsciente disso, o cérebro trabalhava sob profunda estafa, e esse estresse causaria as falhas e a dificuldade não apenas dos missionários cumprirem os comandos durante os experimentos, como seria a causa de fundo de os humanos e mesmo intraterrenos em missão encarnatória na 3-D ‘se esquecerem’ do que pré-determinaram para si mesmos. Após alguns ajustes, o experimento de Stella comprovou resultados idênticos aos obtidos por nós anteriormente, ou seja, estar consciente do que fazer na 3-D não era a chave para uma execução bem sucedida, então Stella pediu para imergir. Eu não quis que ela fizesse isso, mas ela insistiu porque acreditava que poderia melhorar os resultados uma vez que tivesse a experiência em 1ª pessoa; ela voltou desacordada antes que sua consciência alcançasse o nível da Superfície, era por isso que eu não queria que ela fosse: sendo uma empata de habilidades extrassensíveis a 3-D era um ambiente opressor para qualquer um de nós, logicamente seria desaconselhável pra alguém cujas características e habilidades principais eram diretamente ligadas à sua capacidade de conexão a faixas vibracionais menos densas e mais elevadas.

            Como chefe dessa pesquisa, levou muito tempo até que eu permitisse – e novamente contra vontade – que ela voltasse à Superfície; e só o fiz porque ela deliberadamente aproveitou-se de minha ausência para convencer os colaboradores da pesquisa a içarem-na à Superfície, os quais empolgados pelos diferentes resultados alcançados, uniram-se nesse sentido. Ela foi acompanhada para ser auxiliada caso começasse a perder a consciência – o que de fato ocorreu – mas obteve índice de 14/20 êxitos e 4 proximidades de resultado positivo, uma taxa nunca antes alcançada. Ao retornar ela declarou ter algumas ideias de como aprimorar os resultados. Stella provou que era menos estressante para o bioma de 3-D não ter ciência do que necessitava cumprir; a sensação de liberdade tornava o cérebro humano mais apto a conectar-se por si só à informação contida em faixas vibracionais superiores e consequentemente estabelecer uma ligação debaixo para cima – e não o contrário, como vínhamos querendo fazer – vindo assim espontaneamente a cumprir protocolos previamente programados. Stella também estabeleceu o pressuposto de que seria possível “estimular” o cérebro consciente a acessar e cumprir os comandos infraconscientes se houvesse uma recompensa “supraconsciente” condicionando a atenção ao cumprimento desses protocolos à ativação de sensações recolhidas de memórias prazerosas através de uma conexão entre o Eu Matriz e o Sistema Límbico. Eu barrei a continuidade das pesquisas nesse sentido por considerar potencialmente muito próximo às fronteiras da ética.

            Contudo a pesquisa foi concluída, incluindo uma sugestão de protocolos e ativação mediante a possível utilização de gêmeos vegetais ultradimensionais.


***
“Cartas da Intraterra” © 2017 Jennifer Dhursaille
Todos os Direitos Reservados

Adquira o livro digital diretamente com a autora através do e-mail jennifer.dhursaille@yahoo.com.br ou via Messenger do Facebook no mesmo perfil ou solicite entrada no grupo Terra Stellar de Estudos de Espiritualidade Avançada.