quinta-feira, 20 de julho de 2017

Carta Onze - Animais na Intraterra



Carta Onze
 Animais na Intraterra

[Trecho do livro CARTAS DA INTRATERRA, 
Copyright Jennifer Dhursaille 2017 Todos os Direitos Reservados.  
Permitida a reprodução integral com citação da autoria e link relacionados ao final desta postagem. Primeira publicação deste texto de forma individual em 20/julho/2017
Fonte: Blog da autora]

26/03/17

            Saudações aos Irmãos da Superfície!

            Somos um Povo, uma Terra e um só coração buscando a libertação de nossos temores a fim da Integração que há de nos conduzir ao próximo estágio da nossa Evolução.

            Neste caminho que se abre diante de nós e, em verdade no caminho que seguimos até chegar aqui, só o fizemos e só o faremos com o auxílio de outros poderes, das forças que sustêm os caminhos da Criação. Para que a vida humana não pereça, os reinos mineral e vegetal necessitam pavimentar a sua manifestação, e ainda um passo à frente deles o Reino Animal se destaca nos serviços prestados à manutenção da existência humana.

            Nesse campo a atuação dos Devas e das Matrizes Gerenciadoras das Espécies que têm povoado o globo terrestre é muito maior do que é atualmente compreendido por vocês.

            Para adentrar nesse contexto é preciso referendar o conceito da Biblioteca Viva, conforme já foi transmitido a vocês em outras obras canalizadas, sobretudo com o aval dos Pleiadianos*, para que tal conhecimento fosse tomado também por vocês, mesmo enquanto seres que ainda transicionam entre a 3ª e a 4ª Dimensão. Foi julgado por eles que a ciência sobre o funcionamento e a importância desta “biblioteca”, que é extremamente estimada mesmo por seres que habitam outros orbes, lhes ajudaria a elevar sua frequência vibratória, ao aumentar o seu apreço pelo precioso mundo material que os cerca.

            Resumindo o conceito em um parágrafo, seu planeta foi depositário há milhões de anos de códigos genéticos raros, alguns plenamente manifestos e outros escondidos em fitas e desdobramentos no DNA de todas as espécies ‘vivas’, senscientes ou paracientes, como os minerais, que não estão ‘vivos’ como vocês compreendem, porém possuem sua ciência e são capazes de perceber e atuar sobre o meio ou sobre outras formas de vida. Em outras palavras, cristais e minerais em geral são capazes de percepção, e através de uma leitura interpretativa, podem ser programados a recodificar as energias por eles identificadas. De fato, os cristais são os primeiros ‘robôs’ ou princípios de inteligência de origem orgânica que podem ser reprogramáveis a fim de corrigir um sistema, por isso este é o primeiro reino a se estabelecer na maioria dos planetas que estão destinados a receber a vida ou a servir em um papel secundário à manutenção desta vida, como satélites ou estrelas-irmãs ou quaisquer corpos celestes cujas órbitas se retroalimentarão. Em um nível mais complexo situa-se o reino vegetal, ao qual caberá as funções de nutrição e cura das formas de vida que ali se desenvolverão. Em cada elemento cuidadosamente posto aqui de forma a não desestabilizar todo um ecossistema, seres de planetas muito distantes esconderam algo de muito valioso para si. Toda a natureza é um imenso “back up” de outras galáxias – inclusive a vida humana, construída a partir da contribuição de diferentes linhagens extraterrestres, é preciosa, pois representa uma “salvaguarda” de proporções gigantescas, cada ser vivo contendo a cópia de uma parte de um banco de dados que não pode ser encerrado em ‘livros’, ‘discos’ ou de qualquer outra forma mais eficiente. A cada era, abduções ocorrem unicamente para atualizar esse sistema, e assim vocês também evoluem.

            Dentro dessa atualização de dados, nenhuma se faz mais importante para vocês do que as que se referem à vida animal. Pois não apenas eles contêm seus próprios códigos de reprodução de formas de vida primárias, secundárias e terciárias dentro de si, como encerram – além dos protótipos primordiais de sua espécie – partes essenciais do sistema fundamental para o equilíbrio e regeneração da vida humana.

            Um tigre não é apenas um tigre – ele contém as matrizes de uma antiga espécie felina que originou diversas outras em muitos orbes em galáxias distantes. Ele é uma variante dessa genética muito antiga adaptada às condições de tempo e espaço da sua realidade presente. Se essa espécie se perder em um planeta distante, há uma chance para se desenvolver uma linhagem secundária e similar a partir dos códigos genéticos escondidos dentro do belo felino que ora dorme nas tundras da Sibéria.

            Tal já bastaria para que ele fosse entesourado por todos nós, porém ainda há mais. Não somente o tigre serve como reservatório de dados da espécie felina. Ele também guarda em sua energia, em sua contraparte astral códigos de poder, restabelecimento e cura da Alma Humana. Isso é, há muito, do conhecimento dos antigos xamãs da Terra, e inclusive originou práticas deturpadas de medicina tradicional, que buscavam extrair esse poder, esses códigos de cura, através da ingestão ou do uso supersticioso de partes do corpo desse animal. Da mesma forma que arrancar a picaretadas um pedaço de um computador a fim de carregar consigo uma parte de suas memórias ou de sua capacidade não apenas é inútil como demonstra uma ignorância bárbara sobre o que é e como funciona uma máquina projetada para executar e responder comandos, as dádivas que os animais têm a oferecer não podem lhes ser tiradas à força nem obtidas a partir da corrupção de sua natureza original.

            Um tigre contém uma poderosa medicina dentro da energia conhecida por vocês como YANG, ela pode acessar a força masculina de forma bastante elegante e centrada, sem incorrer nos gastos de energia desnecessários que são bastante comuns nos elementos do sexo masculino. O tigre ajuda a direcionar esta energia, auxilia o homem a entender o seu próprio poder e propósito; sua energia pode trazer prosperidade, fertilidade e vitória em decorrência do acesso, da harmonização, entronização e sustentação desse canal energético dentro de si.

            Este é o princípio de uma prática comum pelo universo afora que vocês chamam de Xamanismo; para os seres de Consciência estelar ela se baseia no acesso de energias bases ancestrais e universais, presentes em vários lugares e repassada com variações em diferentes galáxias. Ela representa o princípio daquilo que compreendemos como nosso Sistema de Cura: re-conexão, re-estabelecimento, re-generação, re-codificação, re-vitalização dos sistemas energéticos que se manifestam em cada ser de forma única.

            Ao estabelecer uma sintonia com o tigre, as informações contidas no código genético do animal influenciarão o ser humano que está em defasagem energética. O mesmo ocorre com toda e qualquer vida neste planeta. Cada pequeno animal é detentor de um pequeno milagre, uma grande cura e graça sem igual.

            O estabelecimento dessa sintonia capaz de permitir a transferência de códigos que causará a cura dá-se por diferentes métodos, de acordo com o local, o tempo e a capacidade de cognição do(s) ser(es) que recebe(m) ou capta(m) da Teia Planetária, dos registros akáshicos, a informação e a forma de conseguir essa conexão, mas ela deve ser sempre embasada em Amor e Respeito pela essência daquele animal que contém a dádiva que se pretende acessar.

            Muitas espécies têm se extinguido da Superfície, e como várias consequências do que pode ser entendido como um ato de vandalismo dos próprios seres humanos para com uma “Biblioteca” de alcance interestelar, muitas naves distantes já estiveram aqui recuperando seus códigos para levá-los para algum outro lugar onde possam ser mantidos em segurança. Alguns animais se refugiaram na Intraterra, porém muitos já se perderam para sempre e não serão restabelecidos aqui. Os humanos que necessitarem deles como medida terapêutica terão de esperar talvez milênios até encontrarem uma outra forma ou terem outra chance para se reconfigurar sem a dádiva que esses animais extintos poderiam ofertar.

            Quando um animal entra em extinção por causas naturais, como o foram os dinossauros, por exemplo, significa que seus códigos e sua ‘medicina’ não será mais necessária, porém uma forma de back up natural permanece em todos os seres que chegaram a uma conclusão no processo de apropriação da energia que aquele animal provia. Quando a extinção não se dá por causas naturais, esse processo não ocorre e a espécie hominídea vigente fica desprovida de meios de alcançar essa vibração novamente para a sua reestruturação energética.


            Na Intraterra essa compreensão limita de certa forma nossa interação com as formas de vida animal. Por todos os fatores acima descritos compreendemos que quanto menos influenciarmos seus habitats e sua forma de vida e de expressão, melhor contribuiremos para a manutenção de seu bem estar e consequentemente do nosso, enquanto espécies co-dependentes que dividem o globo.

            Isso não impede que alguns animais se aproximem de nós e de nossas cidades voluntariamente. Sempre existiram espécies vivendo no centro da Terra e na faixa temporal da 4-D na qual nossa atual existência se encaixa, e nós, que viemos depois, procuramos nos adaptar sem importuná-los. Alguns desses animais são imensos para os padrões da Superfície e permanecem fora dos limites de nossas cidades; outros sempre buscaram nossa companhia e alguns até mesmo gostam de dividir sua existência conosco e desenvolvem atividades que lhes auxiliam a obter auto maestria dentro de sua espécie. Essas mônadas existem em diferentes sistemas estelares, de animais cujo estado de consciência se aproxima do hominal e por isso procuram estabelecer conosco parceria. Os seres que coordenam o desenvolvimento de sua espécie podem se comunicar conosco, e embora vocês pudessem compreender essa parceria como uma forma de ‘trabalho’ conjunto, esses animais são, dentro de um determinado patamar, de uma escala de comprometimento, livres para ir caso não desejarem mais desempenhar suas funções junto a nós. De nenhum a maneira é um animal confinado escravizado ou submetido à tortura dentro da Intraterra; alguns são acondicionados, porém, quando de alta agressividade e ocorre algum tipo de confronto entre espécies fora dos limites das cidades nos quais precisamos intervir.

            Na Intraterra não existem ‘animais de estimação’ à semelhança do que ocorre na Superfície, pois entendemos que toda a criação deva ser estimada e todas as formas de vida respeitadas, assim como não nos parece ético privar um animal de seu estilo de vida original para mantê-lo à semelhança de um bibelô dentro de nossos lares, por vezes, porém, pode ocorrer de um animal se aproximar de um indivíduo ou de uma família, ou ainda de um aglomerado de intraterrenos, humanos ou não, e procurar integrar-se à rotina deles; aparentemente se afeiçoam a um indivíduo ou ao grupo. De fato isto tem ocorrido mais frequentemente à medida que os prazos da Transição se fecham e creditamos isso ao êxodo de várias espécies animais da Superfície para a Intraterra. Muitos animais, sozinhos ou em família, têm encontrado as embocaduras para a Intraterra. Acreditávamos que eles as reconheciam antes, mas sentiam receio em ultrapassar as frequências de barreira vibracionais, porém aparentemente eles têm preferido enfrentar o desconhecido a permanecer em seus antigos habitats. É provável que tenham sido expulsos ou sentiram-se sob forte ameaça. Eles têm sido bem-vindos aqui, porém como nosso próprio mundo também passa por uma Transição, não sabemos se poderemos oferecer as condições de que eles necessitam enquanto espécie para prosperar no futuro que ainda desconhecemos em sua plenitude. Temos procurado oferecer a eles simulacros das condições naturais em que viviam na Superfície a fim de interferir o menos possível em sua estrutura psicorgânica. Raros são, porém existem, animais que dividem um lar junto aos intraterrenos.

            Observamos atentamente, contudo, e mantemos constante vigilância a determinados agrupamentos animais tanto da Superfície quanto na Intraterra, que beiram a extinção e possuem condições de reorganização vibratória para serem transferidos para a Intraterra quando e se tal necessidade se fizer presente.

            É importante frisar que não podemos e não estamos ‘salvando’ todos os animais da Superfície que estão sendo extintos e com quem vocês dividem a valiosa experiência da vida. De fato vocês poderiam fazer muito mais por eles do que nós. Assim como vocês não podem ser trazidos ‘à força’ para cá sob risco de desestruturação energética, assim também eles não podem, então somente alguns poucos, que por algum motivo estão modificando seus próprios códigos de frequência espontaneamente – ou os tendo modificados por seres superiores à nossa própria compreensão, os Guardiões das próximas dimensões, os seres que regulam os acessos vibratórios às frequências imediatas que devemos atingir durante a Transição Planetária, que raramente se manifestam diante de nossa própria visão dentro da 4ª e 5ª Dimensão.

            Para encerrar esta comunicação, peço que considerem por alguns momentos, se possível todas as noites, três categorias de seres que dividem a existência com vocês e com os quais a sua sintonia amorosa é capaz de criar um poderoso vórtice de geração energética com potencial de alavancar enormemente, em proporções realmente inimagináveis, a expansão de consciência desejada para que os portais das próximas dimensões, dos próximos níveis de existência onde será possível a transmigração da vida, se abram suave e definitivamente diante de vocês, ocasionando a nossa reunião em uma doce e grata surpresa, desviando-os de um caminho que ao ser trilhado só trará dor e lamento.

            Pensem nos oceanos que banham a Terra e nos seres gigantes que ecoam sons ancestrais. Nadando entre abismos submarinos, fendas intraoceânicas e capazes de aguentar sobre seus corpos um nível de pressão impensável para todos nós, eles são os verdadeiros e primordiais guardiões da vida neste planeta. Nossos avós, o Povo Cetáceo, está partindo. Agora neste exato momento eles estão retornando à sua e à nossa – particularmente minha Terra Natal – às paragens sirianas. Ouçam em seu coração, como uma meditação noturna, azul e profundamente tranquilizadora, antes de dormir, os sons de seus corações ecoando dentro do nosso, ressoando antigas canções de impacto milenar ancestral que reconfigura o nosso DNA em padrões de força e fé na sobrevivência da vida, do amor, da herança divina. Eles partem, mas deixam conosco a profundidade de sua fé no seu amor ancestral.

            Pensem nos animais que dividem a sua rotina agora, os pequenos companheiros de existência que os têm amado mais do que alguns de sua própria espécie; eles foram alterados geneticamente, alguns para servi-los na lida diária e outros para entretê-los e lhes fazer companhia. Mas eles os amaram e embora nada saibam sobre os tempos que se avizinham, eles desejam apenas e tão somente a sua companhia. Tão pequenos e dependentes que são, frágeis da boa fé humana, eles sabem a única coisa que realmente lhes importará e a nós todos durante os momentos finais da Grande Transição: Tudo o que eles querem é o que mais quereremos: a chance de permanecer junto àqueles que amamos.

            E por último peço que remetam seus pensamentos em direção a uma classe de seres que geração após geração tem nascido em seu mundo apenas para servir e conhecer a dor e o sofrimento, tanto físico como moral, pois que animais sentem angústia pela separação dos seus, medo pelas energias que sentem no ar, eles temem pela sua vida e sabem que o fim dos seus também se aproxima; eles têm nascido em dor, de mães que só conhecem a dor, para uma breve vida de dor de onde partirão em mais dor. Suas vidas foram mecanizadas e eles são considerados objetos. Eles fazem parte do mais baixo nível de sustentação do seu sistema, espelhando a mesma mecanização, objetificação e cruel tortura de que vocês mesmos são vítimas. Considerar o que ocorre com a vida desses animais algo ‘normal e aceitável’ faz parte do condicionamento hipnótico que domina vocês e governa suas instituições de modo que vocês também achem normal o que se passa com vocês. O micro reflete o macro e a alma desses animais está escravizada a esse ciclo de tortura enquanto a de vocês aí também permanecer imóvel, incapaz de se rebelar e ousar questionar e decidir não fazer mais parte do jogo de sadismo que impera entre vocês. Esses animais, dentre todos, são os que possuem as almas mais dóceis e amoráveis, e eles estão presos dentro desse ciclo por um complexo mecanismo de ressonância à sua própria escravidão humana. Eles só podem se libertar após o homem conseguir se libertar dos grilhões que aprisionam seu livre-arbítrio e sua força de vontade.

            Enviem sentimentos de Amor, Gratidão e Perdão a todos esses seres.

            Quando fazemos isso uma poderosa ponte energética se cria tornando possível a comunicação entre espécies, e sobre essa ponte uma carga de informações muito valiosa e misteriosa atinge as cordas de que são feitas as fibras do coração do homem e lhe transmitem conhecimentos que a mente não pode cessar de outra maneira.

            No centro do peito está o chakra da integração, o local onde o verdadeiro conhecimento pode ser acessado. Neste ponto, ligado a outro chakra, o umeral, nascem simbolicamente as asas do homem, e é neste momento de sua jornada que ele, por assim dizer, se torna anjo, e é capaz de voar pois agora compreende a ligação entre si mesmo e todas as formas da criação no além-tempo do Eterno Agora, onde passado, presente e futuro se fundem.

            Os anjos não podem ser aprisionados a falsos sistemas, pois são criaturas que através do amor conhecem a si mesmas assim como a seus irmãos, e sabem que todos contribuem para a magnificência da criação.


George AdrilLen


 Para maiores informações sobre o livro, trechos desta e de outras obras da autora, siga no Facebook o perfil Jennifer Dhursaille e a página Terra Stellar e inscreva-se no blog.
 Adquira o livro digital "CARTAS DA INTRATERRA" por depósito ou transferência bancária diretamente com a autora pelo e-mail jennifer.dhursaille@yahoo.com.br ou através do Messenger do Facebook.






* Vide as obras de Barbara Marciniak

quarta-feira, 19 de julho de 2017

MAPEAMENTOS MULTIDIMENSIONAIS: COMO SÃO FEITOS OS ATENDIMENTOS AOS CONTATADOS?

COMO SÃO FEITOS OS ATENDIMENTOS AOS CONTATADOS?



Muitas pessoas têm me procurado em pvt para saber sobre Tarot, Mapeamentos e Atendimentos em geral – não apenas mas especialmente – para contatados.

O trabalho de orientação e aconselhamento espiritual é feito por mim, coordenado por um guia espiritual, um dos muitos espíritos que assessoravam o trabalho da famosa madame Lenormand, que criou seu próprio baralho do mesmo nome, a cigana Szabrina.

Há 28 anos, atendia em casa e em espaços como a lendária Alemdalenda, Maktub, Clínica Uniser, entre outros. Sempre utilizei Runas, Tarot, Baralho Cigano e Ogham – o oráculo das árvores celtas.
Ao longo de quase 3 décadas o trabalho foi adquirindo seu próprio ritmo e mesmo o meu aprendizado com eles foi dando novas cores ao atendimento, tornando-o mais ‘objetivo’, por assim dizer. No início, por exemplo, eu ‘oferecia’ essa variedade de oráculos para que a pessoa escolhesse o que melhor se afinizasse ou que eu intuísse que fosse melhor para trabalhar com os próprios guias espirituais da pessoa em busca das respostas que ela procurava; porém ficou claro que independente de qual ferramenta utilizada, se Tarot, Runas, baralho cigano ou Ogham, as respostas eram sempre as mesmas.

Isso ocorre porque na verdade o que um oraculista, xamã, médium ou mesmo um bom terapeuta faz é acessar o campo energético em volta da pessoa, traduzi-lo em palavras e traçar um diagnóstico de ação que leve aos melhores resultados possíveis.

Falando dessa forma, cai muito do misticismo por terra, mas na verdade é isso mesmo, independente do material utilizado, no fundo é um trabalho bastante técnico.
Quando fiz curso de Reiki, dei uma ‘consulta’ à minha mestra através da leitura dos chakras dela. É possível fazer leituras sem utilização de objetos quaisquer.
Em meus muitos cursos de Tarot, Runas e Baralho Cigano que dei ao longo da vida, sempre ensinei meus alunos que o Tarot não é sagrado, NADA é sagrado por si, tudo são apenas meros objetos que adquirem sacralidade ou não a partir do uso que você dá a eles.Quando se entra no espírito oracular, tudo pode servir como método e ferramenta, de uma caixa de lápis de cor a bolinhas de gude.
Por isso existe leitura na borra de café, nas folhas de chá e até nas nádegas há quem faça leitura hoje em dia. Os chineses sabiam ler no corpo os sinais que representam padrões de pensamentos e emoções que acabam por se manifestar na forma de doenças.
Os antigos druidas chamavam esse processo de Scrying, era feito observando a natureza, o vôo das aves, o cair das folhas das árvores, o comportamento dos animais. Quem mora no mar aprende a ouvir o mar, os ventos e as ondas falam, nos contam segredos, nos avisam sobre mudanças... Não precisa ser um bruxo ou uma bruxa para aprender que o oceano é vivo, e cheio de histórias para contar a quem se detiver um minuto para ouvir...

À medida que me tornava uma terapeuta também passei a questionar a validade de informações fornecidas numa consulta que não podem ser postas em prática, e passei a aliar florais, ervas, cristais – e futuramente teremos HOMEOPATIA também! – para oferecer um auxílio energético que possibilitasse ao cliente realizar as mudanças necessárias em sua vida.

Depois do processo de Despertamento pelo qual passei e conto nos meus livros e nas entrevistas ao Programa Tocando o Oculto, que estão disponíveis no Youtube, fui direcionada a focar este trabalho que sempre fiz para procurar auxiliar os contatados, abduzidos e sementes estelares.
Não sendo uma psicóloga, uma hipnóloga, nem mesmo uma ufóloga propriamente dita, apenas uma pesquisadora e vivenciadora desses assuntos, não imaginava como poderia ajudar pessoas que estão frequentemente sofrendo com muitos traumas e incertezas. Mas os Seres com quem me comunico disseram: “Cada um dá aquilo que tem, e todos têm algo a oferecer.”
Sendo assim, eles têm me instruído a utilizar as Runas – ditas por eles como sendo uma remanescência de um alfabeto extraterrestre multidimensional e ao mesmo tempo símbolos de um sistema de Reiki modular, junto ao UFO Tarot, que adquiri também por orientação desses seres, um trabalho artístico de Arturo Picca que retrata 78 cenas ligadas a OVNIs, alienígenas e os seres humanos em um momento catártico de contato, para auxiliar a responder as perguntas que são realmente as mais importantes:

- O que vim fazer aqui?
- Qual meu campo de atuação na Terra,?
- Qual meu principal papel durante a Transição?
- Como entrar em contato com minha Linhagem Estelar?
-QUEM SOU EU VERDADEIRAMENTE???

Os contatados reais devem saber que somente eles mesmos terão as respostas definitivas diretamente junto à sua família estelar, pois a missão de uma Semente Estelar é sempre confidencial, porém através deste trabalho procuro dar as coordenadas desde os aspectos da saúde física, emocional até dicas de materiais para alimentar o intelecto úteis para auxiliar a mente a se predispor ao contato, textos, livros, técnicas e etc, proporcionando assim que o contato HABILITE-SE a encontrar as próprias respostas.

Geralmente o contatado erra ao pensar que precisa SE TORNAR algo, vir a ser, para estar apto ao contato, mas na realidade o que ele mais precisa é LIVRAR-SE daquilo que não é ele realmente, das muitas camadas do ego que ele assumiu e que turvam a manifestação de sua essência verdadeira.

Por conta desse objetivo, não faço mais consultas simples de Runas, Tarot, nem mapas astrais convencionais. A fim de poder traçar um perfil abrangente de quem me procura para auxiliar no seu próprio processo em busca de respostas, utilizo um sistema que até agora é o que os mentores deste trabalho têm recomendado: um MAPEAMENTO MULTIDIMENSIONAL.

Um MAPA energético que rastreie nas muitas camadas dimensionais e nos múltiplos Eus manifestos – Avatar, Corpo Astral, Duplo Etérico, Eu Matriz, Eu Superior, Eus regressivos, progressivos e paralelos -  que permita averiguar o que a pessoa veio fazer aqui, as energias que ela herdou da família biológica humana e as direções onde sua energia tem facilidades e dificuldades em se manifestar. Forneço dados astrológicos e explico como funciona o mapa, mas não ofereço textos detalhados sobre cada aspecto astrológico do mapa, pois o que me interessa é na verdade a MANDALA formada no desenho do céu no momento do nascimento da pessoa, é dali que vêm muitas das informações que busco para compreender a jornada de vida de cada Semente Estelar.

Já trabalhei com numerologia cabalística básica, porém os resultados repetiam os obtidos por outros meios, por isso esse recurso não está mais sendo utilizado.

No caso de não haver consciência por parte da pessoa de ser realmente contatada/abduzida é utilizado um Tarot convencional para leitura do campo energético presente, geralmente utilizo o Tarot Lord of the Rings (Tarot do Senhor dos Anéis) ou o Tarot das Bruxas.

Não utilizo para este trabalho o Baralho cigano, pois ele foca mais em questões passageiras, que não é o objetivo deste trabalho.

A Revolução Solar Astrológica também é checada para verificar o período em que a pessoa se encontra neste momento da sua jornada.

As Runas e o UFO Tarot abrem as portas para canalizar o conteúdo informativo referente a Linhagem Espiritual da pessoa, neste momento poderá ocorrer informações referentes a vidas passadas e\ou paralelas, revelação de perspectivas ou detalhes referentes à missão que a pessoa veio desenvolver aqui na Terra neste momento no tempo-espaço.
Este é o momento da leitura em que nos abrimos, a semente estelar que procura respostas e eu, para recebermos aquilo que é apropriado e bom para o momento.

Como dito anteriormente, sigo as diretrizes que me são passadas de não revelar aquilo que cabe a pessoa descobrir por si em sua própria jornada de autoconhecimento, leve o tempo que levar. É muito pouco ético afirmar a linhagem estelar de alguém se você não pode provar, além de que isso passa a impressão de que esse tipo de informação é possível somente a alguns. NÃO É.
TODOS podem acessar sua própria linhagem estelar.

Fazendo uma analogia, o serviço que ofereço aos contatados não é um serviço de taxi ou traslado que promete levar a pessoa até seu planeta de origem e oferecer um guia de respostas prontas, dizendo que a pessoa é  do Planeta X, o que ela veio fazer e como deve fazer. Aqueles que fazem isso estão usurpando o poder que você tem de ser seu próprio mestre.
O que ofereço aos meus irmãos é um serviço de OFICINA MECÂNICA, onde diagnósticos e reparos serão feitos no seu veículo para que você siga viagem e decida seus próprios caminhos. Espero que você um dia volte e me diga pra onde foi, o que descobriu e o que tem feito de bom com essas descobertas!

Procuro trabalhar fora do conceito de ‘clientela’, criando dependentes. Espero que uma consulta baste para te dar as informações e as direções que te levarão ao seu destino.

Todas as consultas são feitas à distância após fornecimento dos dados de data, horário e local de nascimento e do local onde passou o último aniversário.  Depois é marcado um horário para uma conversa por Skype ou telefone para elucidar as questões e parte do material (dados astrológicos, fotos das consultas** e receitas florais)* já enviado de forma escrita.

*A análise do mapa astral leva também a uma receita de floral pessoal válida para a vida toda, que visa auxiliar energeticamente a Semente Sstelar executar as mudanças necessárias em sua vida, equilibrando suas emoções e oferecendo um respaldo energético natural.

**É enviada foto com o nome da pessoa junto às Runas ou Tarot para que a pessoa comprove que realmente foi realizada uma consulta específica para ela.

A análise do Mapa Astral e da Revolução Solar, a tirada das Runas e do Tarot (LOTR, das Bruxas ou UFO Tarot) mais a receita floral e muitas dicas que variam de caso a caso e podem incluir desde de orientações para usos de cristais no chakras, receitas fitoterápicas ou um trabalho online de alteração de linhas temporais, além da indicações de outras terapias que se façam valiosas como Apometria, Constelação Familiar, Vivências Xamânicas e outras, poderão ser indicadas de acordo com a necessidade caso a caso. Em casos mais complexos recorro a medicina do Pai Rapé para compreender o melhor caminho a ser seguido.

Junto aos dados, as pessoas podem enviar seus relatos, dúvidas e questões que gostariam que fossem acessadas através da consulta, sejam de ordem pessoal, familiar, profissional ou espiritual, enfim podem e devem relatar os motivos que as levarão a procurar um serviço de aconselhamento metafísico e diagnóstico multidimensional.

Todo esse serviço diagnóstico sai por R$250,00, a serem pagos via depósito bancário em conta da Caixa Econômica Federal.

Todos os meses abrimos um número limitado de vagas para esse trabalho.
Se você tem interesse ou conhece alguém que poderia se beneficiar, por favor compartilhe com os amigos.

Curta a Página Terra Stellar ou siga meu perfil pessoal no Facebook para acompanhar as vagas de atendimento disponibilizadas mês a mês.


Jennifer Dhursaille

quarta-feira, 21 de junho de 2017

A ALDEIA DE SIRIUS C


Após 7 anos, enfim aqui está concluída a obra que conduziu todo meu processo da Umbanda até a compreensão das realidades multidimensionais, que envolvem os seres Extraterrestres, nossos guias e mentores, na condição de irmãos maiores que trabalham diretamente conosco em prol do nosso DESPERTAR para as realidades espirituais que nos cercam.
O download desta obra é gratuito, um presente para a nação estelar Siriana encarnada na Terra nestes desafiadores tempos de transição.
Para que se lembrem os meus irmãos, e para aqueles que sentem também saudades de um lar distante, saibam:
"O Lar vive em nós e nós eternamente nele viveremos."


"Em uma aldeia adâmica remanejada para um planeta pertencente ao Povo Gato nasce Tegini, a Filha de Três Sóis, para viver junto a seus três pretendentes, o guerreiro Siul’Ahan, o filósofo Teguilp e o telepata animal Arhenya uma epopeia em busca da salvação de sua espécie dos ataques do Povo Réptil durante um período de Transição.

A sua história é a nossa história, interligadas pelo tempo e o espaço, revivendo emoções e refazendo um percurso há muito conhecido – e com frequência espiritualmente revisitado.

O amor real, as responsabilidades da liderança e a superação de karmas vistos pela ótica dos Patriarcas de Sirius C, espíritos Guardiães de um aglomerado de almas, que hoje muitas vezes se comunicam conosco em movimentos espiritualistas, inclusive na Umbanda, identificando-se como índios, caboclos e xamãs, nos desafiam a quebrar paradigmas e nos convidam a dar um salto de fé.

A obra apresenta ainda explicações em capítulos à parte discorrendo entre outros sobre a influência arquetípica na genética espiritual dos seres adâmicos e ainda detalha as práticas xamânicas estelares originais, onde o Chefe Águia Dourada nos fala sobre o Grande Mistério da Alma Animal, listando a forma como suas energias podem ser acessadas para trazer cura e equilíbrio, segundo a Tradição Estelar Siriana."


Faça o download gratuito no setor de Arquivos do Grupo "TERRA STELLAR GRUPO DE ESTUDOS DE ESPIRITUALIDADE AVANÇADA: no link: https://www.facebook.com/groups/649573478582656/?pnref=story

[Se você se interessa pelos assuntos aqui tratados, entre no Grupo Terra Stellar, no Facebook, pois em breve desativaremos a página Terra Stellar e ficaremos somente com o Grupo de Estudos de Espiritualidade Avançada]

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Sobre o Povo Pássaro, Felianos, Esferas de Luz e Pleiadianos

Existem assuntos pertinentes a Espiritualidade que são difíceis de se abordar de forma simplista, assuntos que antigamente somente os 'adeptos' após anos de estudos e experiências eram capazes de compreender mais profundamente. Hoje em tempos de Internet e da informação compartilhada - e digerida - em não mais que segundos, muitos desses assuntos estão recebendo 'versões on demand', quando se fala qualquer coisa sem fundamento só pra suprir uma questão.

Tenho evitado abordar esses temas, justamente devido sua complexidade, mas desde que meus livros relatando parte do meu contato com seres Extra e Intraterrestres  foram publicados, tenho sido solicitada no Messenger a  responder perguntas sobre coisas que muitos contatados já viram, como seres pássaros, seres felinos, reptilianos, bolas de luz inteligentes e também, claro, o que eu penso do trabalho de fulano, beltrano e ciclano.

Minha resposta é a seguinte: O QUE EU PENSO, NÃO IMPORTA; IMPORTA O QUE VOCÊ PENSA, porque toda vez que compramos uma IDEOLOGIA, ficamos apaixonados por ela. E queremos muito que ela seja verdade. Só o tempo e as experiências em primeira pessoa para por os devidos pingos nos 'i'.

 Ampliação de Consciência é um conceito do qual falamos mas temos muita dificuldade em de fato aplicar no dia-dia. Por isso meu lema é falar do meu trabalho e não sobre o trabalho dos outros. Fiz uma exceção a essa regra por ocasião do lançamento do livro Cartas da Intraterra porque no momento, infelizmente, a pessoa que mais fala sobre esse assunto é um mitômano cujas fantasias têm seduzido muitos devido sua eficiência ao espalhar mentiras de forma a parecer que está validando as experiências dos contatados legítimos. Principalmente no Brasil onde as barreiras de idioma impedem que a maioria das pessoas conheça e entenda como funciona o mundo business da canalização nos países de 1º mundo.

Existem coisas chamadas AFINIDADE DE PENSAMENTO,  RECEPTIVIDADE EMOCIONAL,  INCONSCIENTE COLETIVO, CAMPO MORFOGENÉTICO que explicam que quando um grande número de pessoas começa a acreditar em algo, mesmo que aquilo não exista de fato, poderá ser acessado por outros,  'ganha vida' baseado na crença e na energia que foi investida naquilo. Sendo assim, um personagem fictício baseado na cruza da Galinha Pintadinha com o Garibaldo  pode ser 'visto' por muita gente, depois que sua imagem foi suficientemente veiculada na midia e passou a 'existir' como informação dentro do cérebro da pessoa. Principalmente se ela já tiver anteriormente uma experiência com seres que têm ressonância com o arquétipo do que uma ave representa. Antes o cérebro dela não tinha uma imagem para decodificar a experiência, agora tem.

Não dá pra falar de ET e da comunicação REAL com esses seres sem abordar a questão da MULTIDIMENSIONALIDADE.

Essa questão é muito bem abordada pelos Pleiadianos nos livros da Barbara Marciniak, eles falam de planos dentro de planos, de camadas de informação e da forma como nosso cérebro interpreta e cria a realidade a nosso redor.

Para essa postagem não se alongar demais, vou listar alguns fatos abaixo retirados tanto de informações que podem ser checadas na Internet numa pesquisa séria a respeito dos temas e também na minha experiência com esses seres de outros planos de consciência. 

Faço isso porque tudo o que é multidimensional é muito difícil de se tentar explicar LINEARMENTE.
Então liguem os pontos porque assim que acredito que fica mais fácil compreender porque 'o buraco é bemmmmmm mais embaixo do que pregam aqueles que oferecem 'ascensão e conhecimento  delivery':


FATOS PARA VOCÊ CONSIDERAR:


1) o tópico Intraterra é mais antigo do que a questão Extraterrestre: a Era Moderna dos Discos Voadores começou em 1947; relatos da Intraterra sempre estiveram ligados aos Altos Comandos Espirituais do Planeta Terra e começaram a se popularizar no século 19

2) No Egito, civilização de origem espiritual de Órion e Sirius - nações estelares que têm grande intercâmbio entre si, 'deuses' com cabeça de gato e pássaro, Bastet, Hórus, eram parte da base de crenças do povo.

3) Uma canalizadora americana que se identifica como Jelaila Starr, pouquíssimo conhecida no Brasil - e mesmo lá fora não é tão famosa entre os canalizadores mainstream - divulgou amplo material a respeito do Povo Feliano, dos Reptilianos e dos Carians (o Povo Pássaro), explicou coisas muito interessantes sobre o que ela chamava de JOGO DA INTEGRAÇÃO DE POLARIDADES, que seria como a Fonte Criadora promove a evolução dos seres por ela criados, falava também, claro, sobre Transição Planetária e Alteração de DNA. Isso ela fez em 1997, mas como quase ninguém sabe, parece novidade, né? Como dizem, 'nada se cria, nada se perde, tudo se transforma'.


(Feliano segundo Jelaila Starr)

4) Não existe canalização. Channeling é a palavra utilizada na Língua Inglesa para definir o que nós brasileiros chamamos de Incorporação e Psicografia. Tradutores ruins fizeram uma confusão danada na cabeça do povo brasileiro e agora acreditam que os ETs 'canalizam' porque esta seria uma forma mais 'elevada' de comunicação. Agora a palavra cabala está deturpada graças a isso também: cabala em inglês significa intriga, complô; em português é o nome de um sistema filosófico judaico.

5) A comunicação com os seres de outros planos de consciência se dá por uma espécie de Download de um bloco de informações sensórias. O contatado sente, vê,  ouve e compreende, intelectualmente e EMOCIONALMENTE a informação que eles querem transmitir. Depois é frequentemente muito difícil repassar essas informações com palavras. Isso causa 'erros de interpretação', e os ETs sabem muito bem que isso ocorre, por isso eles nunca contam com uma única pessoa, e costumam transmitir o mesmo conceito para mais de um contato apto, para tentar obter o melhor resultado possível na soma dos conjuntos.

6) Todo conteúdo intelectual tem prazo de validade. Devido o exposto acima, a capacidade humana de compreender a mensagem evolui na medida em que a própria sociedade evolui. "A letra é morta", eles me dizem, o que importa é o conteúdo energético de um fato. Todo livro, toda informação canalizado ou não, um dia será superada, ultrapassada, por isso os ETs nos ensinar a acessar os fatos da vida energeticamente e parar de depender do que outra pessoa ou instituição  diz. Quando eles escolhem alguém para divulgar algum conhecimento é apenas porque no momento aquele contato é um instrumento apto a passar o substrato da informação para os demais a fim de que em breve todos possam aferir o conteúdo passado por si mesmos. Por isso, canalização cujo assunto não pode ser averiguado energeticamente ou pesquisado  ou checado por todos e informações ditas 'sigilosas' são altamente duvidosas.

7) O principal interesse dos seres estelares é expandir nossa consciência, porém isso não se faz intelectualmente apenas, e sim a partir da transmutação das questões emocionais que nos escravizam
Quando verdadeiramente "sentimos" algo, temos uma experiência de iluminação sensória, isto tem potencial para nos modificar muto mais do que quilometragens de leituras escritas por seres humanos que estavam contidos pelo véu de Maya, portanto com os sentidos espirituais embotados. 
Por isso os Extras e Intras (a mesma coisa na prática, a diferença é que os Intras são Extras que estão baseados na Terra há bastante tempo - e ambos não gostam de serem chamados de ETS, não promovem bairrismo de Linhagem e fazem questão de se posicionarem como Irmãos e parte da nossa própria Família Espiritual e muitos deles são tomados por guias ou mentores espirituais) procuram contato com pessoas abertas a isso em locais onde já ocorra a comunicação com seres de outros planos dimensionais, como centros espíritas kardecistas  e de Umbanda. Devido aos motivos explicados no item 6, hoje estão muito mais atuantes nos terreiros de Umbanda e no Xamanismo do que no kardecismo, devido as barreiras de dogmas que encontram e que Kardec tanto tentou evitar lá atrás quando preconizava a evolução daquilo que suas pesquisas trouxeram.

8) As sementes estelares (pessoas cujas origens espirituais são a Intraterra ou as pátrias Estelares) estão tendo muito sucesso em contatar seres multidimensionais em encontros Xamânicos, devido ser um ambiente propício, onde basicamente se propõe uma integração com as energias da Natureza (que permeiam o cosmo) e nossa Força Ancestral. Esses momentos favorecem a reconexão com a própria VERDADE DE CADA UM, com sua história galáctica e com sua família estelar . É um bom start para as pessoas entrarem de vez no seu caminho e cumprirem os propósitos pelos quais estão aqui. Mas os ETs sempre fazem questão de deixar claro que sua mensagem não é vinculada a qualquer religião da Terra.

9) Os seres pássaros, como já dito por Jelaila Starr já 20 anos, são mestres na abertura de portais dimensionais. Eles pertenceram a uma civilização anterior a este universo, assim como os Felianos, o povo gato, por isso não são vistos habitualmente, e quando são se trata de híbridos. Existem seres que seriam o que deu origem ao desenho Thundercats, humanos que evoluiram dos felinos e não dos símios como nós, assim como híbridos dos carians, porém nem um nem outro tem aparência real de animal na 3D e geralmente nem nas dimensões mais próximas anexas, embora possam manifestar algumas caracteristicas mais ostensivas até por uma questão de permitir a identificação da linhagem. Esses híbridos estão encarnados aqui e não tem rabo nem bico, porém quando forem a um ritual xamânico ou estiverem em um estado alterado de consciência poderão ver a si mesmo como meio-felinos ou meio-pássaros, assim como ver outros seres com as mesmas características. Fora isso há que se considerar o elemento simbólico de que os Seres de outros Planos de Consciência se valem para nos comunicar uma ideia, conceito, sensação, etc. Não por acaso onde vimos muitos desses seres é na Umbanda, geralmente como caboclos ostentando seus imensos cocares... A Umbanda é uma religião magística, e toda magia requer abertura, controle e fechamento de portais para ser bem realizada. A maioria dos Umbandistas jovens hoje é contatada. 

10) Quando você está na 3D e recebe a 'visita' de seres que estão manifestados fisicamente em outros planos de consciência, seres multidimensionais, você não tem 'olhos para ver' sua verdadeira forma, então tudo o que você vai perceber são formas globulares de luz, esferas inteligentes que normalmente atravessam seu corpo e o ambiente pois não são contidas pela matéria física. Quase todo contatado vê isso desde a infância.


11) Por fim, voltando aos Pleiadianos, diferentes de orianos, sirianos, etc, eles não 'nasceram' nas Plêiades. Os seres que passaram informações a Barbara Marciniak e são os mesmos com os quais eu tenho contato, são aquilo que a Lucy se torna no final do filme com o mesmo nome. Eles transcenderam a matéria, não usam nomes, se identificam por assinatura energética, olham para uma parede e vêm cada tijolo, cada bloco de concreto, cada grão de areia que faz parte do cimento que une esses blocos e são capazes de acessar uma cena ocorrida entre um cachorro e um menino em uma praia há muito tempo onde um desses grãos de areia estava antes de vir a fazer parte da parede para onde estamos olhando. O nível de acesso desses seres é transcendente ao extremo para nossa mente tridimensional.

Eles não são 'bonzinhos', apesar de serem muito bem humorados e benévolos, não estão interessados em dramas pessoais, trabalham com foco coletivo, eles são objetivos, compassivos e têm um trabalho a cumprir. Eles são viajantes do tempo e sua especialidade é corrigir sistemas e alterar linhas temporais. Por conta disso eles são frequentemente associados aos pássaros (geralmente a parte da cabeça remete à águia ou ao falcão, aves que voam alto e têm visão aguçada e mira precisa) e à cor azul, que costuma ser visualizada sempre que há abertura entre portais dimensionais. A própria constelação das Plêiades é por vezes representada por sete musas ou sete pássaros.

Do ponto de vista deles, a Transição do Planeta já ocorreu e o resultado não foi dos melhores, por isso eles estão aqui AGORA tentado alterar para MELHOR o resultado dessa vez. Quando eles vão atuar numa localidade eles sempre estabelecem sua base no local de maior luz próxima ao quadrante onde precisam atuar, por isso no momento, para auxiliar a Terra eles estão sediados na Plêiades, que é a morada de Alcione, o Grande Sol Central. Por isso dizem que vêm de lá, mas são seres que já tiveram muitas experiências em diversos sistemas estelares por isto estão aptos a atuarem nos sistemas 'por dentro'.

Os extraterrestres costumam ser muito precisos ao utilizar palavras do nosso vocabulário humano. O nome pleiadiano vem do grego plein, que significa marinheiro, exatamente o que eles fazem: navegam através das linhas temporais.


Para isso tentam MUITO emancipar os humanos da necessidade de crenças e nos motivar a experimentar a verdade em primeira pessoa. Porém isso requer um trabalho de alquimia interior, jogar fora o velho modo de vida para poder permitir a manifestação da verdadeira essência espiritual humana mesmo que estejamos vivendo em um mundo governado pelas leis da matérias.
Eles tentam nos ensinar como isso é possível e a identificar nossos padrões de comodismo mental.

Por isso eu digo a você meu irmão:

Você acredita ser um contatado?

Então você precisa fazer algo de útil com essa informação.

Ninguém pode fazer o trabalho de ampliação de consciência por você, então busque conhecimento com quem tem a oferecer, livros, palestras, etc, mas sobretudo, invista em terapia para resolver aquilo que te impede emocionalmente de ser uma pessoa mais realizada.

Faça constelação familiar para limpar os registros kármicos da sua família biológica e assim permitir que seu DNA estelar floresça mais plenamente.

Faça meditação, yoga, tome florais para aquietar a mente e permitir que o contato com sua linhagem ocorra no silêncio onde as dimensões se cruzam.

Utilize acupuntura, homeopatia, antroposofia, fitoterapia para curar as muitas camadas dos seus corpos multidimensionais, porque embora a alopatia tenha sua utilidade ela age somente nas últimas camadas e pode 'danificar' as estruturas energéticas mais sutis desses corpos.

Adote uma alimentação mais natural que favoreça a plena manifestação da sua energia neste corpo de carne. Evite o uso de flúor que calcifica a glândula pineal, uma importante antena decodificadora de sinais.

Enfim, se você é semente estelar, isso significa, antes de mais nada, que você tem muito trabalho a fazer, e para fazer é preciso 'estar pronto'.

Os contatados e sementes estelares não são seres melhores do que os demais, são tão perturbados pelo sistema doente que vigora no planeta como qualquer um, e precisam se livrar de muito lixo ao qual foram expostos desde que estão aqui na face da Terra: crenças, medos, traumas, desamor, indiferença, etc antes de se tornar um "membro da equipe" restabelecido às suas funções de DESPERTO.


Para estar pronto é preciso não apenas falar de luz e de amor, mas estar disposto a mergulhar nas trevas que te assombram para iluminá-las, pois um contatado iludido ou que não se conheça a si mesmo PROFUNDAMENTE não está apto ao trabalho multidimensional.

Você só nasceu aqui neste tempo-espaço, neste AGORA, porque podia, porque era capaz de fazer isso.
Então faça.
Por favor.


Jennifer Dhursaille para Tríplice Aliança
Sirius - Orion - Plêiades



quinta-feira, 8 de junho de 2017

VERDADES E MENTIRAS SOBRE A INTRATERRA


Sábado está chegando e um dos assuntos que quero muito conversar com quem comparecer à palestra de Lançamento do Livro "Cartas da Intraterra" é a questão das informações desencontradas na Internet sobre a questão da INTRATERRA.
Realmente há muito JOIO para pouco TRIGO, mas a principal razão pela qual isso acontece, especialmente aqui no Brasil é o que vou procurar explicar no dia.
Existe uma ENORME diferença na forma como o assunto ESPIRITUALIDADE (dentro do qual a temática EXTRATERRESTRE está inserida) é abordado aqui e em países como Estados Unidos e Inglaterra. O mundo anglo-saxão funciona de maneira diversa para a mente latina.
Existe todo um "Business" ligado a forma como as informações são transmitidas lá, e o Brasileiro médio simplesmente não compreende isso. 

Lá fora não existe a "pegada" Chico Xavier, o trabalhar espiritualmente pela caridade, o divulgar as verdades 'de graça' porque "de graça também recebi". Não é assim que as coisas funcionam lá.

Estamos falando de países cujas culturas prezam acima de tudo que alguém não seja um LOSER, um 'perdedor', alguém que 'não se deu bem na vida'. Lá você sai de casa aos 17 pra não voltar mais, fazer sucesso, se fazer inveja aos outros através do seu sucesso.

Para a maioria de nós, latinos, isso não faz sentido - Graças a Deus! 

Mas lá faz, e é por isso que "Espiritualidade" é um meio de se ganhar dinheiro como qualquer outro, lá você ser dentista, advogado, vendedor ou canalizador dá no mesmo. É como você ganha a vida, como se sustenta e se você for bom no que faz, ganhará mais dinheiro do que os demais.
Isso é seu objetivo de vida, indiferente de você ser um paranormal ou não. Se for, isso é considerado um talento seu assim como pintar, cantar, ser um atleta. E é seu direito cobrar por isso para entreter os outros.

Por isso você vê hoje canais de TV pela Internet, programas no Youtube, websites super profissionais para passar uma ideia de solidez para aquilo que está sendo vendido pelo profissional, e isso inclui 'canalizações', supostos 'acessos a verdades espirituais que a maioria não tem', 'contatos com seres de esferas muito superiores' e inclusive intraterrestres.

Há no momento muitos mentirosos sendo idolatrados, cujas mensagens cheias de distorções e inverdades estão sendo compartilhadas porque a pessoa no caso é um excelente vendedor, sabe se vender muito bem e tem muitas vezes todo um esquema de marketing trabalhando para divulgar suas ideias.

Muitos desses se dizem "compelidos" a não cobrar por informação recebida do alto (ou do Embaixo na minha opinião), e disponibilizam produtos para venda como meio de obterem algum lucro.
Não se enganem, o lucro não vem dos itens vendidos 'no lojinha', vem das centenas de videos compartilhados no Youtube, dos patrocínios, dos anúncios, da audiência que você dá às mentiras que eles querem propagar.

Além disso, assim em cima como embaixo, portanto:

"Se alguém está se empenhando tanto em tornar um mitômano esquizofrênico porta-voz de verdades, um bom motivo tem. E esse motivo pode estar, além das finanças, bem situado em promover a discórdia entre as ovelhas do rebanho".

Meu conselho?

Não siga ninguém. Você não precisa 'acreditar' no que os outros dizem para aprender as grandes verdades espirituais ou para compreender aquilo que os Extraterrestres e Intraterrestres querem compartilhar não com UMA pessoa, mas com TODA a HUMANIDADE.

Toda leitura, canalizada, psicografada ou simplesmente inspirada, ou ainda escrita por um ser humano não atuado por um força exterior a si mesmo mas motivado pelo bom senso, deve servir para ajudá-lo a obter essa capacidade, a desenvolver sua própria maestria.

Mensagens que promovem apenas o seu suposto autor como "o profeta", como "o conectado" e que colocam os leitores como seres passivos à espera de mais uma 'atualização' de informações, não está servindo à Luz, mas trabalhando para fomentar a divisão entre aqueles que PODEM e os que NÃO PODEM, os que são ESCOLHIDOS e os que NÃO.

Essa definitivamente não é uma política da Intraterra.

Jennifer Dhursaille para a Tríplice Aliança
Sirius - Orion - Plêiades

terça-feira, 30 de maio de 2017

AS CARTAS DA INTRATERRA






            Este é o segundo livro que publico baseado nos ensinamentos passados a mim por seres Extra e Intraterrestres, ou ainda melhor dizendo, Ultraterrestres, pois são seres cientes de sua condição multidimensional. O primeiro tratava de minhas lembranças da nave interdimensional onde passei por vários experimentos, e o escrevi atendendo a uma solicitação ‘deles’ procurando reproduzir os gráficos referentes a cada nível da nave, entremeando os relatos com algumas lembranças pessoais relativas àqueles lugares.
            Tendo sido criada dentro de um lar kardecista, onde a mediunidade era algo comum e tendo estudado sobre diversas filosofias espiritualistas, sempre soube que teria a missão de algum dia escrever livros psicografados, o que veio a acontecer há cerca de 10 anos com a apresentação do espírito do boiadeiro Zé do Laço, que me levou para a Umbanda, onde muito aprendi e com a qual tive o compromisso de publicar sete obras, cada uma referente a uma linha de trabalho. Durante os anos em que tais livros foram ditados, principalmente por Pretos Velhos e Caboclos, sempre ficou patente em suas explicações que tanto suas origens quanto as minhas eram de outros sistemas solares.  Na minha vivência mediúnica os espíritos nunca tiveram ‘religião’, por isso minha visão nesse sentido sempre foi Universalista, no sentido de que podemos encontrar fragmentos de uma Verdade Maior em diversos credos, sem, no entanto eleger um como ‘o mais correto’.
            Tive ao longo da vida várias lembranças, tanto espontâneas quanto patrocinadas por mentores e por esses seres que reconhecia como minha “família real”. De aparência humana, porém muito altos e de pele sem mácula, seu mundo era calcado em tecnologia desconhecida da Terra, mas extremamente familiar para mim quando com eles estava. Lembrava-me de com eles planejar esta minha “encarnação”, e muita cenas do período anterior a esta vida, no qual eu não estava, como a maioria imagina, ‘morta’, ou ‘desencarnada’ como ensina o espiritismo no Brasil. Entre eles minha vida era material e eu tinha inclusive filhos. Pessoas nessas condições que enveredam por uma encarnação no mundo mais denso da 3ª Dimensão, como é a Superfície da Terra, são chamados de “imersos”. Em tese, essas pessoas ao desencarnarem aqui não vão para colônias espirituais, mas retornam ao seu mundo de origem; no meu caso uma cidade Intraterrena chamada Telos ou outra similar onde estiverem baseados meus descendentes por ocasião do meu retorno.
            Essas lembranças foram difíceis de concatenar com base nas crenças em que baseava minha visão de mundo, mas por fim, após um processo denominado por eles como “Despertamento” que foi fortemente impulsionado dentro de práticas Xamânicas solicitadas pelos meus próprios mentores espirituais, vim não só a me lembrar de tudo, mas por fim a compreender o quadro geral das lembranças e acessos de décadas e a conseguir voltar a vê-los, interagir, aprender e transmitir as mensagens que eles desejavam escrever através de meu intermédio.
            Este e outros livros que estão no prelo tratam exclusivamente destes conhecimentos passados por eles; não são psicografias, são transmitidos por um processo telepático que pode ou não vir acompanhado por palavras, ‘blocos de download’ e desdobramentos da consciência para compreensão de um determinado tema, ou como eles dizem: “para que eu me lembre”.
            A primeira coisa que me passaram é o fato de que a vida existe em muitos níveis inimaginados por nós na superfície do globo, e que nossa ciência é precária para compreendê-los. Eu atesto aqui que não aceitava de forma alguma a teoria sobre a possibilidade da existência de um mundo dentro da Terra, Intraterra ou Terra Oca, até que isto me foi explicado como uma realidade paralela, e que esse mundo que fala da conhecida Rede de Agharta, da mítica Shamballah, é paralelo e não subterrâneo exatamente, ainda que existam acessos a essas dimensões através de cavernas, túneis, e pontos especiais de conexão na Natureza, mas cavar não vai levar ninguém a ter acesso à Intraterra.
            A segunda coisa que me passaram é a informação de que a alardeada ‘quarentena’ à qual a Terra estaria sujeita, com relação ao seu impedimento de ter contato com Seres Estelares não se aplica à Intraterra, pois eles sendo a civilização que evoluiu a contento, e atuam como paramédicos e cientistas que tentam nos auxiliar mesmo à distância a curar nossas mazelas pessoais e sociais para que possamos a eles novamente nos unir, já que somos essencialmente a mesma família, têm livre acesso para fora do globo através de naves e portais, assim como diversas bases de diversas linhagens extraterrestres se fazem presentes na Intraterra, respeitando as regras e a diplomacia imposta pela Confederação Galáctica.
            A terceira informação relevante é que a maioria das chamadas “abduções” ocorre em parceria entre seres extra e intraterrestres, e sua atuação é bastante confundida com a atuação de ‘seres espirituais’, ‘mentores’ e suas bases são facilmente tomadas por colônias e cidades espirituais, porém eles não são seres religiosos, ainda que diversos conceitos pertinentes ao que denominamos como “Espiritualidade” faça parte de sua ciência e seja objeto de seu trabalho, sobretudo com relação às abduções.
            Não cometerei a imprudência aqui de afirmar que todas as abduções são feitas por esses seres e com esses propósitos, pois cada caso é um caso, mas tudo o que tentarei explicar e retransmitir nas próximas páginas refere-se a esse contexto – o contexto no qual a minha experiência está inserida – e deve ser compreendido dentro dessa temática: a de que uma civilização que é um ramo de nossos ancestrais e que acelerou sua vibração até alcançarem um plano de vida que se situa em uma frequência vibracional cima da nossa busca nos auxiliar a fazer o mesmo, tendo em vista nosso próprio bem estar assim como a emergência de tempos convulsos que enfrentaremos, denominados por eles de Transição Planetária, um fenômeno que também abarca seu mundo, sua faixa vibracional de existência. Esses seres chamam comumente de Sementes Estelares tanto a extraterrestres como intraterrenos originais que imergem para uma encarnação aqui na Superfície da Terra a fim de realizar algo, de cunho pessoal e/ou coletivo.
            A maioria das abduções conduzidas por seres denominados por muitos como ‘nórdicos’, ‘louros altos’ e ‘humanos altamente espiritualizados’ tem origem nesse intercâmbio entre seres Extraterrestres sediados há muito na Intraterra, que se utilizam da Rede de Agharta para fazer transitar suas naves pelos portais interdimensionais, respondem à Confederação e são muitas vezes acompanhados por Grays e seres de outras linhagens que os auxiliam e fazem seus próprios estudos.
            O Despertamento neste livro será sempre referido como o processo que se dá quando o imerso se lembra de sua realidade pré-encarnatória e assim pode retomar parte de sua vida multidimensionalmente, vivendo por assim dizer, como um cidadão de dois mundos, pois detém dupla – e por vezes até tripla – cidadania. Estando o Despertamento bem concluído ele compreenderá melhor a si mesmo e suas razões para estar presente neste Tempo-Espaço, acessar melhor talentos há muito conquistados e que podem auxiliá-lo a cumprir aqui seus propósitos, poderá ouvir as instruções referentes ao seu trabalho aqui, estar em contato telepático ou visual com sua “família real” e principalmente, fazer a alquimia de seu próprio ser, uma oportunidade rara que estes tempos concedem a todos aqui encarnados, de resolverem questões emocionais e energéticas que carregam há milênios, pois a Transição é um tempo de Grande Cura.
            Conforme explicado no livro “Dentro de Uma Nave Interdimensional” a maioria dos meus contatos se dá através de um ser de origem Extraterrestre sediado na Intraterra, originalmente na cidade de Telos, que fica situada abaixo do Monte Shasta na Califórnia, local de onde eu também vim. Havíamos anteriormente encarnado na Califórnia no século XIX, uma lembrança que eu tinha desde a adolescência, de chamar-me Elizabeth e ter sido casada com um fazendeiro de nome George. Ao longo de décadas “George” foi visto por uma série de videntes, inclusive por minha mãe, o que me levou a imaginar que ele fosse algum tipo de espírito-guia, no entanto afirmavam que ele não era um espírito, pois estava “vivo”. Diziam que eu o encontraria em algum momento e que trabalharíamos juntos.
            Devido minha sensibilidade mediúnica, nunca fui favorável ao uso de qualquer substância que pudesse me causar qualquer tipo de desequilíbrio, portanto foi somente por extrema insistência do mentor maior que comanda todos os meus trabalhos espirituais, o Chefe Águia Dourada, que se mostra como um índio de aparência norte-americana, que fui tomar a Ayahuasca em uma igreja do Santo Daime. Durante esta experiência, que não pode ser explicada com palavras e somente quem comunga com uma erva de poder é capaz de compreendê-la apropriadamente, o Chefe Águia Dourada trouxe George para conversar comigo, pois eu sentia que tinha pendências a resolver com ele, por conta das lembranças que havia acessado.
            É dito nas cerimônias com a Ayahuasca que continuamos a receber insights durante três dias após o ritual, porém o meu nível de acesso a lembranças de vidas ocorridas em outros tempos e espaços centuplicou em quantidade e riqueza de detalhes, e durante quinze noites consecutivas George esteve comigo conversando sobre diversos assuntos, que iam desde os de ordem pessoal, questões que eu julgava ‘kármicas’, até explicações sobre cristais, chakras, frequências dimensionais, etc, e inclusive sobre a Intraterra. Na medida em que eu me habituava a conversar com ele, comecei a notar que seu rosto por vezes me parecia outro, cheguei a ver umas quatro versões de seu rosto, no entanto todas me eram familiares, e pouco a pouco fui me lembrando de outras intercorrências com ele, em outros mundos, sobretudo em Sirius e Órion.
            Após três meses, acordei com vários seres ao meu redor na cama, eu os ouvia conversando, então ouvi George me chamar de Stella. Nesse momento eu me lembrei de tudo. O quebra cabeças fez sentido e todas as cenas de vidas passadas neste e outros mundos se encaixaram numa espiral até chegar à minha vida antes desta em que nasci como uma brasileira em outubro de 1973.
            Antes de meu nascimento eu estava viva em outro lugar, uma cidade da Intraterra, onde trabalhava e vivia com George, que se chama na verdade Jurgen em sua vida atual, então eu precisei vir para este mundo denso de terceira dimensão; estabeleci um projeto encarnatório – imersão – contando com a ajuda dele na parte técnica do meu Despertamento. Eu chamava-me Joreen e Stella era uma espécie de apelido pelo qual todos me chamavam, originalmente dado por George; denominei o Projeto de Stella por conta disso, porque quando estivesse pronta para me lembrar, esse nome viria à tona, quando eu realmente me lembrasse de quem eu era.
            Na maior parte das vezes Jurgen prefere ser chamado George, porque além de ter sido seu nome em sua última encarnação aqui neste plano, segundo ele convém um nome cuja etimologia do grego significa fazendeiro, já que sua função é preparar e cuidar das ‘sementes’, os imersos, para que despertem a contento.
            Nas cartas por vezes ele assina Jurgen, e quando me pede que relate meu ponto de vista, deixa claro que devo assinar como Stella ou como Joreen, pois é a partir do ponto de vista da cientista que eu era, e não da professora e tradutora que sou que essas percepções são analisadas. Ao longo de dois anos a minha consciência de 3-D passou por um upgrade, por assim dizer, assumindo parcelas da consciência de 4-D e 5-D, para que esse trabalho pudesse ocorrer. Gosto da alegoria das bonecas russas, as babushkas, ou matrioscas, para exemplificar essa situação, em que um mesmo ser se manifesta em versões multidimensionais, sendo que as maiores – as que contêm maior quociente vibracional – contém uma maior consciência de si mesmas e são mais aptas a utilizar e canalizar seus talentos.
            Um interessante paradigma para este momento da humanidade, a meu ver, assim como todas essas doze cartas também apresentam; uma oportunidade de rever conceitos e experimentar imaginar a vida sob uma outra ótica.
            Como mensageira, ouso desejar uma boa viagem, repleta de quebras de conceitos e mudanças de paradigmas.


Jennifer / Joreen / Stella


Trecho de Apresentação do livro CARTAS DA INTRATERRA ₢ Jennifer Dhursaille
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 

Adquira o livro digital por Paypal, Depósito em Conta Bancária ou diretamente no site da Amazon.
Contate a autora por Messenger no Facebook ou pelo e-mail jennifer.dhursaille@yahoo.com.br