quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Perfil de Uma Mulher Imperfeita de Nível Médium



Muito bem, eu escrevo histórias ditadas por espíritos e seres Ultradimensionais (Extra e Intraterrestres). Adoro compartilhá-las porque as acho interessantes e se eu aprendi alguma coisa com elas acho que também servirão para mais pessoas. 
Isso não faz de mim uma pessoa diferente de você, assim como não faz de um maestro, um esportista ou um artista. Cada um com seu talento tentando contribuir com a humanidade à sua moda. 

Eu realmente quero deixar isso bem claro porque, especialmente na nossa cultura latina, pessoas que tenham 'ligação' com qualquer coisa que se considere como pertencente ao lado espiritual da vida são vistas como 'diferentes' ou 'estranhas'. Isso é verdade, eu sou mesmo esquisita. 

Mas o que eu não sou e faço questão que você guarde bem essa informação: superior, santa ou mais evoluída espiritualmente do que você. Pode ser que você tenha conhecido outros autores espíritas e tenha sentido neles uma aura elevada, uma sensação angelical, uma superioridade espiritual... Acho muito interessante se você teve essa experiência (do ponto de vista psicológico, no sentido do espelhamento de luz e sombra entre os indivíduos e as coletividades), mas por favor não espere encontrar nenhuma aura de santidade ao meu redor. 
So sorry, but... esta pessoa boníssima que possui todas as resposta que você está buscando não sou eu. Não  sirvo pra mestre nem dos meus cachorros. 

Sou apenas uma médium psicógrafa e contatada como tantos outros, um ser humano falho procurando ser melhor a cada dia, consciente de que as lições que os guias disponibilizam nos livros são aprendizados a serem arduamente conquistados também por mim e não benesses adquiridas.

Tenha certeza que eu estou muito mais para Gasparetto do que para Chico Xavier. Muito mais Dercy Gonçalves do que Irmã Dulce – com todo respeito e a admiração que os segundos citados me merecem. Eu apenas sei quem sou. E o que não sou. E gostaria que você não se equivocasse quanto a isso.
Sim, eu adoro gírias e falo palavrões. Como artesã de palavras acho ferramentas imprescindíveis para a boa veracidade do discurso. Eu sou sarcástica, cínica e irônica e não me importo a mínima para aqueles que acham que isso é sinal da minha falta de evolução espiritual. Afinal, se eu fosse tãoooooooo espiritualizaaaaadaaaaaaaa como afirmam ser alguns atuantes do meio, pra começar acho que não estaria encarnada aqui no Planeta dos Macacos. Então sou a primeira a assinar embaixo de qualquer declaração que venha a surgir a respeito da minha própria falta de evolução.

Minha 'bandeira pessoal' é a de que espiritualidade é assunto de TODOS – e “todos” significa a multidão de seres humanos imperfeitos e caóticos que convivem neste orbe – e não exclusividade dos que se entitulam “secretários de Deus” ou  “porta-vozes da Divindade”. Acredito que esse tipo de pensamento exclusivista e que prega modelos de santidade inatingíveis para o estado atual do planeta levou à alienação de parte imprescindível do ser, que hoje vaga sem saber quem é e muito menos para onde ir.


O objetivo do meu trabalho é ajudar a reverter essa situação e mostrar para as pessoas que espiritualidade é parte inerente da vida de cada um e que precisa estar em equilibrio, dentro das características individuais do ser e do seu nível de entendimento e interesse, assim como todos os outros aspectos da vida, como a saúde, a profissão, os relacionamentos e a auto-realização.

É a Ciência do Pentagrama em Ação para uma humanidade do Terceiro Milênio ecologicamente viável, mais unida e mais feliz.

Por que não acontece nada de novo na Espiritualidade?

POR QUE NÃO ACONTECE NADA DE NOVO NA ESPIRITUALIDADE?



Essa pergunta me foi feita a título de brincadeira por meu amigo Leo Estelrich, mas acabou levando a uma resposta, segundo ele, dilacerantemente verdadeira. E divertida. Como 2014 chegou, achei uma boa matéria para tratar como primeira postagem do blog.

Pois é, a rapaziada espiritualista tava aí cheia de expectativas para 2012 que se estenderam para 2013 e agora... depois do NADA  frustrante – cataclismo só no cinema e nos discursos dos apocalípticos de plantão – como é que fica a situação da Bolinha, vulgo Planeta Terra?

O que esperar para 2014 e suas sequências numéricas advindas?
Os terroristas do astral já estabeleceram nova data. Agora o armagedon tá marcado pra 2016! Como diria Marcos Mion: “Ê laiá!”

Na boa, esse povo não tem simancol mesmo, né? Parece que quanto mais espiritualizado, mais sem noção o sujeito fica! Dá até desgosto de ouvir certas coisas.

Gente, pára e pensa!

Mais de século e meio o povo do outro lado do véu vem mandando novidade pra bolinha. É kardecismo; é a popularização das religiões orientais no ocidente; é a revitalização do cristianismo de “n” formas e maneiras possíveis; é a volta do paganismo em uma riqueza de denomizações; a acessibilidade com a abertura das escolas de mistérios para um grande número de pessoas; a discriminalização em forma de lei (embora ainda não DE FATO) dos cultos-afrobrasileiros; é o esoterismo de revista numa linguagem acessível até para o público que se deleita com programas do tipo BBB; é a renovação carismática católica – e seu papa superpop; é inundação de todo tipo, gênero (e degeneração) de seitas evangélicas; é Reiki, Johrei, Arte Mahikari, Perfect Liberty; Fraternidade Branca; mensageiros extraterrestres e até maçonaria mista (sim, hoje em dia  mulher pode entrar no clube do Bolinha!) e o que eu chamo de 'a nova Umbanda Universitária' onde para muitos o número de cursos (nada contra, muito pelo contrário) vale mais do que os anos de experiência templária.

Não bastasse isso ainda tem, validada inclusive pelo papa Francisco, a opção “Só Que Não”, o ateísmo sadio, onde o senso crítico faz da pessoa um descrente digno e atuante em prol da sociedade, que não se esconde atrás de filosofias questionáveis, processos de transe dúbios nem aceita vaticínios cruéis e ilógicos em nome de um suposto desígnio divino. Sempre digo que se eu não fosse médium (ou esquizofrênica, na visão da ciência) eu seria atéia. Acho que todo espiritualista sério deveria ao menos se questionar, sinceramente, se um mundo ateu não seria um mundo mais justo.

Ou seja tem opção de cor, número, modelo e preço, de formas e normas de condutas espirituais e até de não-espirituais para agradar os cornos de qualquer um! Ninguém tem desculpa pra dizer que não sabia como se comportar para merecer o título de Cidadão Galáctico Nível 1, não mais elegível para auto-destruição e aceitável no esquema maior das coisas.

Daí, veio a fase alarme setado: data pra mudança! Da convergência harmônica pra cá quase 3 décadas pra neguinho tomar vergonha na cara.
Tem gente à espera de um novo avatar, e pior, gente que jura que ele já nasceu!
Querem mais gente pra crucificar pra quê! Que povo é esse que se diz tão espiritualizado que precisa que martires se sacrifiquem por eles?!?
Reforma íntima que é bom nada, né?
Terapia pra curar as nabas interiores que todos temos também nada!
Neguinho quer é mais um santo no balcão de entrega da salvação coletiva.
Nananinanão!!!

Só se o plano espiritual fosse muito burro ou sádico pra mandar mais um mensageiro pra Terra, já que os avatares são tão avant-garde que das duas uma: ou não são compreendidos mesmo milênios após sua vinda ou são eliminados  pelos macaquinhos assassinos que dominam a Bolinha.

Além disso pra quê mandar avatar pra um o povo se compraz em ler tanta canalização cheia de abobrinha e acredita que evolui por osmose só por ler essas lerdezas – idênticas umas às outras, é só reordenar as palavras que você tem uma nova mensagem 'da luz' novinha em folha –  e ainda por cima jura que nem vai mais precisar encarnar. Desculpe a crueza das palavras, mas isso equivale pra mim a dizer que não vai mais foder porque já leu '50 Tons de Cinza' e acha que já sabe tudo sobre sexo!

De novidade só espere alguns cataclismos bem superpower mesmo, e algumas novidades trazidas pelos parcos índigos sobreviventes e pelos cristais, que no devido tempo marcado – ou no caso dos índigos, quando conseguem – vão tocar seu terrorzinho abalando mais um alicerce dessa sociedade decadente. Mas não é nada novo não; apenas cumprimento dos contratos reencarnatórios pré-firmados.

Boas notícias? Até temos.
Um revival nostalgico dos anos 60 está no ar. A máquina do tempo retornou 50 anos para dar uma segunda chance às energias que tentaram vingar naquela época na esperança de que elas floresçam agora. Enjoy! Vai ser divertido!

Mas quanto à salvação em nave espacial. Ela não vem, não, tá?
Querem asinha? Vão aprender a confeccionar a sua, moçada! O aluguel de penas de ganso pra alegoria fake de anjo foi cancelado até o próximo Manvantara.

Não sabe o que é manvantara? Vai ler Ramatís ou pesquisar no Google!
Espiritualidade para preguiçosos não vai rolar nesse Terceiro Milênio.